2018-04-02

Jesus Cristo ressuscitou: uma certeza inusitada!




Homilia do Pe. Clairton Alexandrino* (Por Antonio Marcos)

A criação com todas as suas coisas grandiosas já eram maravilhosas aos nossos olhos. A providência de Deus já constituía um grande feito. Deus acompanhava a sua história. O povo foi liberto do Egito, dos seus 400 anos de escravidão. Povo sofrido e machucado, embora tenha ajudado na construção do Egito. Povo humilhado, mas Deus faz surgir uma luz de onde não havia nada. Deus mostra assim que ele pode fazer surgir uma luz do fim do túnel, uma ação salvífica inesperada. Deus não quer o seu povo na miséria.

Podemos contemplar tantos feitos de Deus na história. Todo o seu rastro mostrava o seu poder e a sua ação de salvação, de escolha ao povo de Israel. O povo reclamou das cebolas, queria aquela vida porque a mudança exige sacrifício. Havia também ingratidão. Agora a sua surpresa é de forma mais inusitada. Envia o seu Filho para libertar o homem de uma escravidão muito mais pesada: o pecado. Deus queria dar uma felicidade que o homem jamais ouvira falar. Nada estava perdido.

Na surpresa Deus suscita a vida. Os atos dolorosos da sua Paixão se transformaram em vida e salvação. Deus ressuscita Jesus e o torna Senhor dos vivos e dos mortos. Ele traz as chagas gloriosas. Jesus tem a chave da morte. Ela foi tratada pela vida ressuscitada de Jesus. As mortalhas que nos cobriam foram tiradas. “Ó morte, onde estás a tua vitória?”. Hoje é dia de festa! Este é o dia que o Senhor fez para nós. Alegremo-nos e nEle exultemos!” A vitória de Cristo já é a nossa vitória. Muitos países têm medo de Jesus. Armam-se para se protegerem dos que creem em Jesus. Fogem da cruz e não aceitam os que que nela acreditam. Tudo se confirma como diz o Evangelho. “Ele foi levado ao matadouro e não abriu a boca”.

No Egito um homem é condenado por portar bíblias e aqui eles constroem suas mesquitas e seus cultos. Fazemos isso porque não acreditamos e não cultuamos o ódio. Aquele que esteve morto agora vive e não precisamos ter medo. Todos haverão de se prostrar diante de Jesus. Jesus é mais poderoso que todos os regimes carrascos da história. Poderíamos falar do Império Romano, mas ele se desfez no tempo certo e passou. Tudo passa e só Deus permanece. Aquela certeza da vitória ruiu. São João falou da prostituta, do demônio, da besta fera. 

Não pensemos que o nome de Jesus desaparecerá. Os poderosos deste mundo conspiram contra Deus, mas se trata de um tempo misterioso. O demônio conhece a história e sabe do pouco tempo que lhe resta. Cristo esmagou a cabeça da serpente. Que o demônio não roube Cristo da família e do nosso coração. As ideologias perversas do nosso mundo de hoje mostram as conspirações contra Jesus Cristo, mas não tenhamos medo, digo-lhes mais uma vez! Jesus Cristo está vido e caminha conosco. Reinemos com Ele.

Fonte: Homilia do Rev.mo Sr. Pe. Clairton Alexandrino, pároco da Catedral de Fortaleza (Paróquia São José), por Antonio Marcos (Missa da Ressurreição, 1º de abril de 2018..


0 comentários:

Postar um comentário