Viver a difícil liberdade

Escrito Por Antonio Marcos na terça-feira, dezembro 27, 2016 Sem Comentários


Nestes nossos dias muito se fala de liberdade, seja de expressão,  de opinião,  sexual, afetiva ou financeira. Tudo respira liberdade e ai de quem a ela se opõe ou dá sinais de resistência.  Somos livres e pronto, é o grito de guerra quase que inconsciente! Não sei exatamente como refediniria Sartre, o filósofo,  quando disse que estamos condenados por sermos livres.

O paradoxo de nossa liberdade contemporânea é que, infelizmente, muitos não aceitam a forma do outro viver a tal liberdada defendida. O meu conceito de bom, de verdade e de felicidade não pode ser dogmatizado, mas expandido além da fronteira do diferente. Não prego o relativismo da verdade, porque ela continuará tendo sempre uma essência: o bem comum, o respeito, a justiça e o altruísmo. Estes valores são os pilares de uma autêntica liberdade.

Não entendo a violência em nome da liberdade. Não entendo a agressão ao outro simplesmente pela sua forma de ser e viver, ainda que isto se choque com o que chamamos de "nossa verdade, nossa liberdade". Quem não se deixa lapidar nas suas prisões de ideias e conceitos, padrões engessados de comportamentos e de relacionamentos jamais se encaixará no ambiente saudável de convívio social. O "outro diferente" lhe será sempre ameaça, o que se faz lamentável. Mas não percamos a coragem na luta pacífica pela liberdade sonhada e conquistada com tanto afinco. Desejemos, com todas as nossas forças,  viver a difícil liberdade de nossos dias.

Antonio Marcos