2013-02-02

Bendita espada a atravessar nossa vida


O mistério celebrado neste dia, sábado, 02 de fevereiro, a Igreja o chama de APRESENTAÇÃO DO SENHOR, exatamente como está no texto bíblico de São Lucas 2, 22-40. José e Maria levam o seu primogênito para consagrá-lo a Deus no Templo, para ofertá-lo como manda a lei do Senhor. E para isso levam um par de rolas e dois pombinhos, sinais da vida humilde, das poucas condições que tinha a família de Nazaré. Do ato litúrgico judaico podemos extrair diversos significados pela sua riqueza teológica e simbólica. Na verdade há como que uma manifestação do desígnio de Deus para aquele Menino. O coração humano, por mais virtuoso que seja, só pode alcançar tal desígnio mediante a fé.

A figura de Simeão e Ana, ambos dedicados ao serviço do Templo e que aguardavam a contemplação do Salvador, conforme a esperança e a fé nas revelações de Deus, é parte constitutiva para a riqueza de compreensão do desígnio de Deus, como assim atestam as palavras cheias de força e profecia que saem da boca de Simeão: “Agora, Senhor meu, segundo tua palavra, deixas livre e em paz teu servo; porque meus olhos viram teu Salvador, que dispuseste diante de todos os povos como luz revelada aos pagãos e como glória ao teu povo Israel” (Lc 2, 29-32).  E, olhando para Maria, continua a deixar o Espírito Santo falar:  “Este menino vai ser causa tanto de queda como de reerguimento para muitos em Israel. Ele será um sinal de contradição. Assim serão revelados os pensamentos de muitos corações. Quanto a ti, uma espada te traspassará a alma” (Lc 21, 34-35).

Eis o mistério: este menino é Deus, traz consigo um desígnio de salvação e para realizá-lo será necessário fazer eclodir tudo aquilo que não é luz, não é vida, não é salvação. Também é este o mistério do seguimento a Cristo mediante o santo Batismo e a vocação específica à vida consagrada, celebrada pela Igreja neste dia. Quando Deus nos chama a uma missão de salvação, tudo o que não é luz em nós precisa eclodir. A fé cristã – e hoje mais do que nunca – também faz abrir uma fenda no coração. Bendita espada a atravessar nossa vida para que o desígnio de Deus prevaleça. Que a fé operante que alimentou a vida de Simeão e Ana e que  sustentou José e Maria diante da perseguição, possa sempre ser a força e o segredo de nossa vida, vocação e missão.

Antonio Marcos

0 comentários:

Postar um comentário