2012-08-29

Que a verdade nos salve no amor!


A celebração do martírio do profeta João Batista, como consequência da sua coragem em escolher a verdade e denunciar a mentira, é ocasião que proporciona reflexão salutar, salvífica. Todos nós, de alguma forma, sabemos por experiência pessoal o preço da escolha da verdade e as conseqüências quando a mentira e a hipocrisia nos sufocam, ou nos roubam a liberdade, a felicidade e até ideais, pessoas e sentimentos.

O “crime não compensa” por mais que ele seja sedutor, esta é a verdade. Se a correção fraterna é um desafio hoje, muito mais a “denúncia”. Novas vidas continuam sendo ceifadas porque as trevas reagem diante da luz que a denunciam. Uma vida virtuosa, um testemunho de retidão, honestidade, de palavra dada e de vida coerente é, para muitas consciências inebriadas pelo mal, como que uma das piores ameaças. A verdade tem sua cadência, sua força, seu tempo, seu ritmo... porém, ela cumpre sua missão, ainda que não vejamos os resultados, ou os mesmos aparentem apenas resultados negativos, querendo assim nos convencer de que talvez “seja a verdade a não compensar”, o que não é verdade. Infelizmente o contexto social, sobretudo na política brasileira e em todos os meios envolvidos na corrupção e nos escândalos éticos e morais, a sensação é mesmo a de que a mentira vai deixando de ser vergonhosa. Perde-se qualquer estranheza com a falta de honra diante de si mesmo e da sociedade. Isto é lamentável e um abismo profundo.

Também a nossa consciência nos denuncia, como a vida dos que nos cercam, mesmo quando silenciosa. Não vale a pena viver na mentira! Nunca valerá! A mentira tem um preço e suas consequências podem sem irrevogáveis.  Deus não exige mudança de vida como “mágica”, mas nos convida e nos conquista cada dia a darmos passos, razão e fé, para a conversão. Esta é a nossa felicidade: caminhar para a luz da verdade, não obstante nossas resistências, trevas e quedas. É preciso se deixar atrair pela verdade, ainda que ela nos chegue em forma de denúncia de nossas trevas. Que a verdade nos salve no amor!

Marcos de Aquino

0 comentários:

Postar um comentário