Retornar sempre já é um sinal de que o mal não tem a última palavra

Escrito Por Antonio Marcos na terça-feira, abril 03, 2012 Sem Comentários
As notícias de cada dia parecem seguir a mesma cartilha: acidente no trânsito, criminalidade, drogas e violência, corrupção por toda parte e conflitos mundiais por interesses econômicos e políticos. Tudo parece querer nos tragar a esperança e a luta pelo bem, pela solidariedade, pela paz no mundo e no coração de cada homem. Fico pensativo e até triste quando vejo o mundo numa agitação sem igual, quando os dias santos que vivemos passam despercebidos de uma grande parcela da humanidade. São dias obscuros, mas que, graças a Deus, o dom da fé autêntica no coração de muita gente continua uma sentinela a guardar as torres da cidade. É Deus que vai sustentando nossas vidas e este mundo, obra de suas mãos. Por isso não me entrego ao pessimismo, não me permito achar que os acontecimentos em Jerusalém nos dias de Páscoa Judaica tenham sido esquecidos, que não tenham força de fazer a sua obra hoje. Sei bem que se esta obra começar em mim, se aqui dentro o mistério da Paixão, Morte e e Ressurreição acontecer de fato, então terei motivos para manter firme a esperança em mim mesmo, na minha família, nos meus amigos, naqueles com quem convivo, no meu país, no mundo. Creio que o caminho é o do amor, como assim descreve o pedido de Jesus: "Como eu vos amei, amai-vos também uns aos outros. Nisto reconhecerão todos que sois meus discípulos" (Jo 13,34-35). Devemos ser, não obstante nossas fraquezas, "uma página viva do Evangelho" na história da vida de muitos. E isto é uma graça, um processo contínuo de retorno para Deus. Retornar sempre já é um sinal de que o mal não tem a última palavra porque Jesus é vencedor de toda morte. Que cada um de nós possamos dizer: Eu creio, eu desejo, eu decido viver isto!

Antonio Marcos