2012-02-22

“O Flagelo das Drogas”: novo livro de Maria Emmir. Uma pérola!

Maria Emmir lançou no RENASCER 2012 o livro “O Flagelo das Drogas”. Tão logo o foliei fiquei encantado com a riqueza de conteúdo. Um grande auxílio para jovens, pais, educadores, padres e pregadores. Um livro oportuno para o tempo que vivemos, propício ao Lema da Campanha da Fraternidade deste ano: “Que a saúde se difunda sobre a terra” (Eclo 38,8). Comprei o livro e não resisti divulgá-lo aqui, como incentivo para que você, caro leitor e leitora, adquira-o junto às Edições Shalom. Disponibilizo aqui a introdução do livro como forma de divulgação, nas próprias palavras de Maria Emmir, Comunidade Católica Shalom.

Não temas o pecado dos homens, ama o homem em seu pecado, porque esta imagem do amor de Deus é também a perfeição do amor sobre a terra. Diante do pecado humano, podes ser tentado a perguntar-te: “Devo recorrer à força ou ao humilde amor”. Se tomares esta decisão de uma vez por todas, terás vencido o mundo inteiro. O amor humilde é uma força extraordinária, a maior dentre todas, inigualável em seu poder. (Fiódor Dostoiévsky)

Falar sobre o flagelo das drogas no nosso tempo é tarefa dolorosa e desafiante. Dolorosa porque a mensagem encontrará inevitavelmente corações feridos por situações de dependência química em sua própria vida ou na vida de familiares. Desafiante porque a vastidão do tema e sua complexidade obrigam a tocar apenas de leve alguns de seus inúmeros aspectos e, ainda assim, de forma superficial.

Ainda que consciente de nossos limites com relação ao assunto, aceitamos proferir palestra originalmente intitulada “O homem moderno e o desafio das drogas”, no Dia Internacional de Combate à Drogadição, em 2007, a convite do Projeto Volta Israel, do setor de Promoção Humana da Comunidade Shalom.

Cinco anos depois nos chega a proposta de transformar em livro a palestra original. Deparamo-nos, então, com um dado chocante: ao ler o texto transcrito do DVD da palestra, constatamos que, em apenas cinco anos, o crescimento da drogadição, dos tipos de droga oferecidos e de sua disseminação havia sido tão avassaladora que se fazia necessário rever a palestra e atualizar alguns aspectos.

Dessa forma, você encontrará neste livro dados posteriores a 2007, como o falecimento de Amy Winehouse, a invasão da Cracolândia, em São Paulo, a mudança de abordagem feita pela mídia televisiva depois que artistas conhecidos tornaram-se vítimas de drogadição. Embora os dados tenham necessitados ser atualizados, o corpo da palestra e seu espírito permanecem os mesmos. Acrescento: “Infelizmente! Sinal de que pouca coisa mudou.”

Pais e familiares de dependentes químicos, além de alguns adictos formavam o público presente na colocação de 2007. Além disso, a palestra foi dirigida a público formado unicamente por brasileiros. É necessário levar isso em conta, pois foi mantido o tom coloquial deste livro, que não é estudo de um especialista, mas fruto de serviço à juventude e casais ao longo de mais de 30 anos. Eis porque quisemos iniciar esta introdução com a referência de Dostoiévsky ao “humilde amor”.

A palestra e o livro a que deu origem são, no final das contas, uma constatação do nosso orgulho e egoísmo que arrastam tantos à dependência de drogas. Por outro lado, é um grito de esperança e certeza de que, ao escolhermos viver o “humilde amor”, juntos a Maria que apresenta seu Menino a Deus, novo caminho de prevenção, socorro e solução, bálsamo e curador para esse avassalador flagelo de milhões de filhos amados de Deus.

Fonte: O FLAGELO DAS DROGAS, Maria Emmir Oquendo Nogueira. Edições Shalom – Contato: (85) 3308.7405 (ou ainda: WWW.edicoesshalom.com.br / suportecomercial@comshalom.org
Imagens: Capa do Livro e Maria Emmir autografando no Stand das Edições (Por Antonio Marcos).  

0 comentários:

Postar um comentário