Para quem está em Deus, absolutamente nada se perde

Escrito Por Antonio Marcos na terça-feira, dezembro 27, 2011 Sem Comentários
A Igreja celebra neste dia de natal a Festa Litúrgica do evangelista São João (Palestina, século I), o “discípulo predileto”, aquele que escutou os segredos de Jesus pelo reclinar da sua cabeça sobre o peito do mestre, e foi um dos primeiros a segui-Lo. João, pela amizade íntima com o Senhor, deixou-nos um evangelho que penetra profundamente no mistério do Verbo encarnado. Também se dedica a ele, ou à sua Comunidade de seguidores de Cristo, as três cartas Joaninas, por sua vez de riquíssima teologia sobre o amor a Deus e ao próximo, através da simbologia da luz e das trevas: se não amo o meu irmão permaneço nas trevas! 

João gosta muito da simbologia da luz, não por acaso, mas porque “Deus é Luz e nele não há treva alguma” (1Jo 1,5). Assim, devemos abandonar as trevas do pecado e do desamor aos irmãos para verdadeiramente estarmos na luz. Afinal, este é o Natal que celebramos: Deus comunica a nós a luz da sua verdade. A luz nos faz ver melhor a realidade, que fica para nós mais nítida. 

Mas é bem verdade que estamos sujeitos a perder a direção, a perder a luz que guia os nossos passos. Queremos acertar, melhorar, queremos ter Deus, queremos a conversão, mas erramos a direção, mudamos de caminho, erramos na busca dos valores, e o pecado é, de fato, um “errar o alvo” da santidade com consequências concretas e dolorosas. E este pecado pode vir do mau uso deliberado de minha liberdade, de uma tentação do demônio ou das sutis enganações do mundo. Somente a Luz de Jesus, nascida para nós no Natal, pode nos devolver a claridade do caminho, da consciência e do coração. Somente esta Luz pode nos fazer amar de verdade e sem falsidade a Deus, a nós mesmos e ao próximo.

É tempo de Natal, tempo de “retorno”, como nos falava Dom José Antônio (Arcebispo de Fortaleza), na homilia da Missa da Noite de Natal, 24 de dezembro. Retornar é iniciar um caminho de mudança de vida, seja lá onde estejamos. Queiramos melhorar, apesar de nossas fraquezas, pois a misericórdia de Deus nos alcançou, a nossa miséria foi atraída à misericórdia, eis o mistério daquela gruta de Belém, mistério de fé que se atualiza no hoje da história e da nossa própria vida. É fato que há vidas que melhoram e há vidas que pioram, mas façamos a nossa parte, ainda que as circunstâncias sejam desfavoráveis. Tenhamos a certeza absoluta de que, para quem está em Deus, absolutamente nada se perde, tudo colabora para a obra de salvação em nossas vidas, sejam as alegrias, as dores e o sofrimento, ganhos e perdas incalculáveis, pois de tudo Deus tira um bem maior. O Menino-Deus que acaba de nascer é a nossa luz, nossa salvação, por isso deixemos que ela ilumine as nossas trevas e nos "leve de volta".

São João Evangelista, interceda por nós! Amém.
Antonio Marcos