Teresa de Ávila: "Eu quero ver Deus!"

Escrito Por Antonio Marcos na sábado, outubro 15, 2011 Sem Comentários
Quando ainda criança Teresa de Ávila (1515-1582) disse aos pais: “Eu quero ver Deus”. Seria esta a sua maior inquietação da vida. Para isto orientou sua existência, suas procuras e fadigas. Teve ela que crescer na humildade cristã e reconhecer sua própria hipocrisia, o que a fez pedir com coragem uma radical mudança de vida. Mitigar a vocação cristã e seu chamado à vida religiosa a fez sentir-se não amiga, mas inimiga de Deus. Somente aos pés do "Flagelado", do “Cristo chagado”, Teresa de Ávila reencontrou a si própria. A partir de então precisou de uma “determinada determinação” para se conservar na amizade com Deus. Amizade que é a melhor definição que soube dar à oração: “trato de amizade com o Amado”. Mulher muito além do seu tempo, Teresa compreendeu que os conflitos interiores e exteriores não se resolvem criando “novas divisões”, mas vivendo a amizade com Jesus, a oração, a fraternidade e missão na proteção e orientação segura da Igreja. Teresa de Ávila soube exortar e exorcizar o seu coração acerca de toda perturbação com a temporalidade das coisas e dos fatos, pois tudo passa, só Deus permanece. Parecia dizer a si mesmo tantas vezes: “Aquieta-te, Teresa! O amor de Deus cuida de tudo!” A Igreja e a humanidade conheceram uma das mais brilhantes mulheres da história da fé e da mística. E o mais fascinante é que Teresa viveu a sua fé e se uniu a Jesus Cristo mostrando que não precisava deixar de ser “gente”, de amar, sorrir, chorar, conviver, trabalhar e rezar. Quanto mais amava o amigo Jesus, mais conhecia e se apaixonava pelo coração dos homens, por quem não se furtou de dar a vida e anunciar o Evangelho. Eis um exemplo para os nossos dias de como nossa fé pode nos ajudar a "ver Deus" em nós e nos outros.
Santa Teresa de Jesus, rogai por nós! 
Antonio Marcos