Francisco de Assis: radicalidade e entusiasmo

Escrito Por Antonio Marcos na terça-feira, outubro 04, 2011 Sem Comentários
“Em três ocasiões, o Cristo na cruz adquiriu vida e lhe disse: ‘Vai, Francisco, e repara minha Igreja, que está em ruínas’. Este simples acontecimento da palavra do Senhor ouvida na igreja de São Damião esconde um simbolismo profundo. Imediatamente, São Francisco foi chamado a reparar esta pequena igreja, mas o estado ruinoso deste edifício era o símbolo da situação dramática e inquietante da própria Igreja nessa época, com uma fé superficial que não forma e não transforma a vida, com um clero pouco zeloso, com o esfriamento do amor; uma destruição interior da Igreja que comportou também uma decomposição da unidade, com o nascimento de movimentos hereges. Contudo, nessa Igreja em ruínas, o Crucifixo está no centro e fala: convida à renovação, chama Francisco a um trabalho manual para reparar concretamente a pequena igreja de São Damião, símbolo do chamado mais profundo a renovar a própria Igreja de Cristo, com sua radicalidade de fé e com seu entusiasmo de amor por Cristo” (Trecho da Audiência Geral, Bento XVI, Francisco: “Gigante da Santidade”, janeiro de 2010).

A vida convertida de São Francisco dispensa comentários, é verdade, porque o testemunho de configuração à Pessoa de Jesus é o segredo da transformação, a “revolução” que se pede quando o caminho fica turvo, seja na vida da Igreja, seja na nossa vida pessoal. E que providência: o mistério do Crucificado está sempre no início de toda vida nova! Não tem outro ponto de partida. Os Santos sempre partiram do Crucificado e caminharam para Ele. Alguma semelhança com o Batismo? Sim! Plenamente! O Batismo deve gerar sempre na nossa vida a “Radicalidade de fé”, sobretudo em nossos dias tão turvos, tão seduzidos outra vez pelo ter, pelo prazer e poder. Tempo que pede uma premente necessidade de batizados cheios de “entusiasmo de amor a Jesus Cristo” ou, interpretando o poeta Dante Alighieri, “que a vida cristã seja sempre o nascimento de um sol” na própria vida e na dos outros. Ajude-nos, Senhor! Ajude-nos a conjugar a fé e o entusiasmo não a um sentimentalismo, mas ao mistério da cruz, e assim podermos reconstruir a Tua Igreja, a começar do templo da nossa vida e o coração de tantas vidas que procuram uma luz, uma direção.

São Francisco de Assis, rogai por nós!
Antonio Marcos