Voltemos ao primeiro Amor

Escrito Por Antonio Marcos na domingo, julho 31, 2011 Sem Comentários
O anúncio explícito de Jesus sempre foi a missão essencial da Igreja, de todos os batizados. Mas a evangelização, o anúncio da Boa Nova em suas etapas de formação, da pesca até o engajamento, é um processo que pede primeiramente adesão de vida de quem se propõe a abraçar a causa desta Feliz Notícia. Não se fala de “estar pronto” na espiritualidade católica, de modelo acabado – quem pode se mostrar assim? -, mas de se estar a caminho, procurando cultivar a experiência com a Pessoa de Jesus e a permanência em seus passos (cf. Ap 14,4), não obstante a condição humana de homens sujeitos ao pecado e aos seus limites. Cada vez mais vamos encontrando o equilíbrio do que nos ensina a Igreja acerca da santidade de vida e da radicalidade do seguimento. Estamos em um turbilhão de acontecimentos, inseridos num processo multicultural de transformações e fazemos parte da velocidade da comunicação jamais vista em tempos passados, como, da mesma forma, vemos profundas carências na formação dos valores perenes. Nesse sentido, apresentar o Evangelho de forma que encante, conquiste e gere desejo e compromisso de mudança de vida é um trabalho que requer a vida, o esforço humano e a graça de Deus. “A graça pressupõe a natureza”, diz o basilar axioma teológico. Mas a consciência já faz esta exigência, embora a liberdade humana seja a instância final de decisão. Porém, não sendo ela absoluta, tem necessidade de que a graça venha cada dia fortalecê-la, iluminá-la, capacitá-la a escolher a luz, a transparência e verdadeira vida dos filhos de Deus. Deixemos Deus nos conquistar definitivamente, voltemos ao primeiro amor e verdadeiramente seremos as primeiras páginas do Evangelho na vida das pessoas e onde quer que estejamos.

Antonio Marcos