2011-07-31

Uma juventude no sentido oposto

Dizem as estatísticas sobre a juventude que estamos vivendo um período dramático, preocupante no tocante à formação dos valores dos adolescentes e jovens. A falta de sentido de vida e de convivências que deem significado não apenas pelo “número de amigos no perfil”, são necessidades visíveis e fundamentais. As intolerâncias com as diversas diferenças são um termômetro de que alguma coisa está errada entre os jovens, principalmente. Muitos reclamam até politicamente a bravura e defesa dos grandes ideais democráticos, bandeira da juventude idealista. Os jovens estariam desencantados com a Política frente aos contínuos escândalos de corrupção por parte dos seus referenciais e de uma política fragilizada. Os jovens só pensam em prazer e dinheiro – dizem alguns -, mas ainda desejam as grandes profissões (ainda que não tenham vocações para o ofício), ou simplesmente desejam a beleza, a fama e o poder de forma mais fácil, não tanto laboriosa. Tenho minhas objeções acerca da idolatria a certas estatísticas que manipulam outros interesses. Claro, existe uma dura realidade que salta aos nossos olhos, não dá pra se negar, bastaríamos citar as drogas e o permissivismo moral sexual no mundo juvenil, mas não só nele. Aliás, os grandes escândalos da era moderna se resumem em dois: corrupção e sexo. Certo, mas, é esta a única direção da juventude? Não! Temos a feliz notícia com sinais visíveis de que há uma juventude no sentido oposto a todas essas estatísticas. Um desses sinais é, sem dúvida, a mobilização dos jovens cristãos e não cristãos (ateus até!) para se viver a Jornada Mundial da Juventude com o papa Bento XVI (Madri, Espanha), um fenômeno fora do comum, uma graça, um mistério, uma demonstração ao mundo de hoje de que “os jovens – segundo a profecia de Joel – estão tendo visões porque o Espírito de Deus está sendo derramado sobre eles” (cf. 3,1). Há uma sede de Deus na juventude e é possível contemplar o “rosto de uma Igreja jovem e viva”, rejuvenescendo assim o mundo, porque Cristo é sempre jovem, vivo e atuante. Como diria o beato João Paulo II: “Não tenhais medo, queridos jovens, de vos deixar conquistar por Cristo, porque somente Ele é capaz de satisfazer aos vossos anseios mais profundos de felicidade”. Os jovens estão redescobrindo isto: a felicidade é Cristo, Seu amor, Seu Evangelho, Seu plano de felicidade para o homem! Rezemos pela juventude.

Antonio Marcos

0 comentários:

Postar um comentário