2011-06-18

O homem só pode ser compreendido a partir de Deus


A salvação, como comunhão de amor entre Deus e o homem, reflete as características dos dois interlocutores que a constituem: Deus e o homem. Ora, o homem só pode ser compreendido a partir de Deus: feito à imagem de Deus, é plasmado conforme o Cristo, que é a imagem perfeita de Deus (Cl 1,15). Portanto, as perguntas e respostas sobre Deus são de uma importância fundamental para compreender o homem.
Concretamente, a vida humana, de um ponto de vista religioso, desenvolve-se e expande-se proporcionalmente ao “conhecimento” do mistério de Deus (Jo 17,3). Se o homem é destinado à comunhão com Deus Pai, é claro que sua vida tem tanto mais valor quanto mais ele consegue seguir o movimento de “subida aos céus” inaugurado pela ascensão de Jesus (Jo 12,32), até sentar-se à direita do Pai para vê-lo face a face. Escreveu um sacerdote teólogo que “todo aprofundamento da ideia de Deus equivale a um novo nascimento”.
O mistério do amor Trinitário revela algo do mistério mais profundo do homem; por sermos como somos, criaturas capazes de conhecer, amar, gerar, só podemos exprimir-nos em termos humanos, mas chegamos com mais profunda admiração ao último porquê: como pôde ter nascido a ideia de “conhecer”, “amar”, “gerar”? Não nasceu. Ela é. Porque Deus é amor. O mistério de Deus não é um mistério de solidão, mas de convivência, criatividade, conhecimento, amor, de dar e receber; e por isso, somos como somos.
Fonte: Missal Dominical. Comentários introdutórios à Solenidade da Santíssima Trindade. 

Um comentário:

  1. Sim... conhecer, amar, gerar... Porque Dele, por Ele, para Ele são todas as coisas... Deus é perfeito! E como mendigamos distante Dele.

    ResponderExcluir