2011-05-24

Quando as coisas de Deus vão contra a nossa própria vontade


Responda-nos, Santo Padre: O Senhor não queria tornar-se bispo, não queria tronar-se prefeito, não queria tornar-se Papa. Não se experimenta um pouco de desespero, quando se pensa nas coisas que sempre acontecem contra a própria vontade?
O fato é este: quando se diz “sim” no momento da ordenação sacerdotal, pode-se também ter uma ideia do que poderia ser o próprio carisma, mas também se sabe o seguinte: “Coloquei-me nas mãos do bispo e, no final das contas, nas mãos do Senhor. Não posso escolher o que quero. Por fim, devo deixar-me guiar”.
Na realidade, pensava que meu carisma fosse ser professor de teologia, e fui feliz quando este meu sonho se realizou. No entanto, tinha bem claro diante dos olhos este ponto: “Estou nas mãos do Senhor e devo levar em conta a possibilidade de dever fazer coisas que jamais quis”. Nesse sentido, certamente foi uma contínua surpresa ser “arrancado” de onde estava e já não poder continuar o próprio caminho. Contudo, conforme disse, naquele “sim” fundamental estava também incluído isso: “Estou à disposição do Senhor e, talvez um dia, devesse também fazer coisas que não gostaria de fazer”.
Fonte: Bento XVI (Entrevista com Peter Seewald). Luz do mundo, 2011.  

0 comentários:

Postar um comentário