Uma forma maravilhosa de Jesus abraçar os jovens

Escrito Por Antonio Marcos na sábado, abril 30, 2011 Sem Comentários
PARTE 4 - Esta publicação corresponde a uma “partilha” (conforme minhas anotações) do Curso para os jovens sobre a “vida e vocação de João Paulo II”, ministrado no Renascer 2011, por Moysés Azevedo (Fundador da Comunidade Católica Shalom).

No Ano Internacional da Juventude, 1985, o papa João Paulo II dá um presente aos jovens, a cruz. Esta seria o símbolo maior das Jornadas Mundiais da Juventude. Por que a cruz? O papa a vê não como sinal de desgraça, mas o instrumento por meio do qual Cristo amou até o fim cada um de nós, salvando-nos da morte e nos conquistando a vida. E os jovens, segundo o papa, deveriam ser os guardiões da cruz, as sentinelas. A partir de então a cruz passou a percorrer o mundo e estar presente em cada encontro dos jovens com o Santo Padre. 

Sempre que João Paulo II se encontrava com os jovens era visível a sua alegria e confiança neles. Da mesma forma o seu amor pelas crianças era algo muito contagiante, inclusive o próprio papa contava que foi uma criança que o salvou da morte. De fato, no exato momento que pega uma criança nas mãos, naquele ano de 1980, na Praça de São Pedro, e quando se abaixa para devolvê-la à mãe é atingido por um tiro. Disseram os médicos que essa inclinação evitou que o tiro fosse fatal. 

Conto-lhes agora uma cena muito significativa que se deu no ano 2000, Jornada Mundial da Juventude em Roma, quando um jovem argentino, num instante de falha da segurança, ele furou o cerco, driblou os guardas e correu em direção ao Papa João Paulo II que se encontrava sentado na sua cadeira a quase 100 metros de distância. O jovem corria, a segurança corria atrás e o papa apenas observava. Quando chegou perto do Santo Padre o jovem se ajoelhou e o abraçou já em lágrimas. O papa também o abraçou! Chegando os seguranças puxavam o jovem por um braço e o papa o segurava por outro, uma imagem que não esqueci nunca. Podemos fazer uma interpretação importante: Cristo abraça vocês e o faz mediante a Sua Igreja, enquanto o mundo quer retirá-los da vida, da fé, do abraço de Deus. 

Outras imagens marcantes e até de natureza jocosa, engraçada. Por exemplo, na Jornada de Roma João Paulo II já usava a sua “bengala de apoio” devido sua idade, mas fazia os jovens rirem quando a manuseava na mão em movimentos circulares e sorrindo. Ao verem esta cena eles gritavam: “O papa é jovem. Nós te amamos e beijamos!” Respondeu-lhes João Paulo II: “Eu também beijo vocês, mas nada de ciúme!” Tudo isso foi uma forma maravilhosa de Deus atrair os jovens, de Jesus abraçá-los por meio do testemunho da vida de João Paulo II e da fé da Igreja. Eles tocaram em Jesus Cristo ressuscitado através do amor e da oferta de vida deste homem de Deus. 

Por Antonio Marcos