A evangelização também passa pelo corpo

Escrito Por Antonio Marcos na sábado, março 26, 2011 Sem Comentários

PARTE 7 (última) – Esta publicação faz parte das “pequenas partilhas” (a partir de minhas anotações), do Curso aos Jovens sobre Teologia do Corpo (baseado na Teologia e vida de João Paulo II), ministrado no RENASCER 2011, por Meyr Andrade (Consagrada na CVSh, Missionária na Diaconia Geral Shalom).
Um último aspecto da nossa reflexão sobre a Teologia do Corpo é, sem dúvida, a dimensão da missão. A missão é um mandato de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ele nos mandou ir e anunciar a Boa Nova a todos os homens. E o papa João Paulo II convocava e encorajava os jovens para que não tivessem medo de falar de Jesus aos amigos, aos outros jovens que participam ou cruzam suas vidas de alguma forma. Pois bem, a evangelização também passa pelo corpo, através da sua vocação e expressões. O corpo, podemos assim dizer, é um lugar teológico porque é chamado a manifestar as ações de Deus.
Tenho a responsabilidade, primeiro como batizado, depois como aquele que renova continuamente a experiência do encontro com o Senhor, de testemunhá-Lo aos outros. É a irrenunciável missão que cada jovem, cada pessoa tem de levar a presença de Deus aos outros nos ambientes diversos de nossa sociedade. O corpo desempenha importante função porque precisamos da alegria, da disponibilidade, dos gestos de caridade, das sadias e santas relações de amizade, do serviço, da doação e compromisso de vida em tantas formas de serviço para o anúncio da Verdade. O corpo é o lugar através do qual os outros têm acesso às minhas capacidades, dons e talentos... Imaginemos o desafio da evangelização se somos fechados, tristes, descompromissados! O meu corpo deve sinalizar a presença de Jesus Ressuscitado.
Elencamos alguns pontos - para concluir nossa partilha - que poderão muito nos ajudar na compreensão da importância do corpo no processo da missão: Ser presença, estar disponível na vida dos outros, a partir daquilo que somos: homens e mulheres que creem em Jesus Cristo e procuram viver os valores evangélicos; Nunca deixar a alegria obscurecida, pois ela é “força de atração”, especialmente para os mais indiferentes e machucados. A alegria verdadeira facilita o acesso das pessoas até nós; Não se deixar escravizar pelo temperamento, mas termos consciência de nossas fraquezas e limites, e nunca esquecer que somos sustentados pela graça de Deus; Os pequenos gestos de expressão do corpo são muito importantes na missão, tais como: o modo de se vestir, a voz, o olhar, o trato, a gentileza, a generosidade, sobretudo, a piedade e a coragem de se assumir cristão feliz na frente dos outros; Compromisso com as obrigações, seriedade com as coisas de Deus, com o engajamento; Viver com equilíbrio o sacrifício, as renúncias, a mortificação, não para chamar a atenção para si mesmo, mas para amar melhor a Deus e os irmãos e, por fim, embora seja o mais importante, unir o nosso corpo ao Corpo de Cristo, através do alimento da Eucaristia.
Deus nos ajude a viver a nossa feliz vocação à santidade, onde quer que estejamos ou façamos, e não tenhamos medo de anunciá-Lo aos outros. A vida e o exemplo de João Paulo II muito nos encorajam, pois teremos a alegria de vê-lo nos altares, sinalizando assim que é possível viver uma juventude santa sem ser alienado e ainda transformá-la em canal de salvação para outros jovens. Deus nos ajude a viver na inteireza de vida, coração, mente e corpo impregnados pelos valores do Evangelho, e assim um único lugar da habitação e manifestação da presença de Deus.       
Antonio Marcos
Imagem: Jovens da CA Shalom de Brasília - Renascer 2011.