2011-02-06

Por minha culpa, minha tão grande culpa!


Aproveitei a celebração da Santa Eucaristia do Domingo Tempo Comum, especialmente no momento do ato penitencial, para fazer o que se chama no ato litúrgico de “revisão de vida”. Trata-se de uma sadia auto-acusação tendo como alvo a misericórdia de Deus, a partir do reconhecimento de nossas fraquezas e pecados, quando com eles ferimos o amor de Deus e também os nossos irmãos, consequentemente a nós também, e então permitimos que o Espírito Santo gere em nós o verdadeiro arrependimento, o pedido de perdão e a certeza de que seremos perdoados. Da graça do perdão brota força para não voltarmos mais às nossas mortes.   

Batemos no peito enquanto rezamos “por minha culpa, minha tão grande culpa”, porque a nossa liberdade, quase sempre, é a grande responsável pelos nossos atos contrários ao bem. O Evangelho de Mateus era propício para uma perfeita revisão, exatamente pelo imperativo “Vós sois o sal da terra (...). Vós sois a luz do mundo” (cf. 15, 13-16). Jesus não propôs a opção: “Se quiserdes ser sal ou luz do mundo”, mas disse: “Vós sois”. Evidentemente falava para os que aderiram ao seu chamado, tornaram-se cristãos, o mesmo que aconteceu conosco quando nossos pais, no direito natural e responsável que lhes cabia, pediram para nós a luz da fé da Igreja através do Batismo na Santíssima Trindade.

Lembrava-me das vezes em que não fui sal na vida das pessoas. Em vez de dar sabor, semeei o amargo desamor, a discórdia e o pecado. Lembrava-me da minha falta de entusiasmo e zelo para com o que é bom e santo, da falta de esperança diante das vicissitudes, das dores e dificuldades. Lembrava-me, sobretudo, das vezes em que não fui luz na vida das pessoas. Em vez de ajudá-las a encontrar a Face de Deus e Seu amor, acabei sendo pedra de tropeço, instrumento não de cura, mas de ferida e dor. “Por minha culpa, minha tão grande culpa!” Ajuda-me Senhor a voltar para aquilo que eu sou, sem jamais desacreditar que a luz de Tua misericórdia é infinitamente maior que as minhas trevas. Que seria de nós se nos tratássemos conforme nossas culpas? Que seria de nós sem outra oportunidade do teu amor para recomeçarmos? Não seríamos nada!

É salvação deixar-se interpelar pela Palavra de Deus, ser alcançado pela Luz que nos faz ver “quem somos”, não pecado, mas filhos de Deus. Na hora em que nos colocamos suplicantes diante da Sua misericórdia não Lhe interessa a sabedoria humana e nossos prestígios, mas a sinceridade do coração, a transparência e o desejo de mudar de vida. E o que muda a nossa vida é Jesus Cristo crucificado e ressuscitado, como tão bem disse São Paulo aos seus irmãos de Coríntios (cf. I Cor 2,1-5). Por minha culpa, minha tão grande culpa, tudo parecia o fim! Por Tua misericórdia, Tua infinita misericórdia, tudo recomeça outra vez nas nossas vidas!

Antonio Marcos

6 comentários:

  1. Meu irmão tua partilha se fez profunda oração de contrição, em meu coração. Louvo e bendigo a Deus por tua presença em minha vida, por seres sal e luz na minha existencia.

    ResponderExcluir
  2. Reconhecer os erros, perdoar a si mesmo e pedir perdão... Atos esquecidos até mesmo entre nós cristãos. O homem está tão seguro de si que já pensa não precisar mais disso...

    "Lembrava-me, sobretudo, das vezes em que não fui luz na vida das pessoas. Em vez de ajudá-las a encontrar a Face de Deus e Seu amor, acabei sendo pedra de tropeço, instrumento não de cura, mas de ferida e dor. "

    Se fizessemos sempre essa avaliação creio que seria bem diferente. Obrigada! Aprendi muito com seu texto.

    ResponderExcluir
  3. Maria Helena, muito grato por seu comentário e feliz por saber que minha "postagem-partilha de vida" fez um bem à sua vida. Saber disso é também provar do sal e da luz de sua existência. Rezemos um pelo outro. Que Nossa Senhora te guarde! Shalom.

    ResponderExcluir
  4. Querida Jeania Lima, Shalom!

    Obrigado pelo seu comentário que também edifica. Faço minhas as suas palavras: "Reconhecer os erros, perdoar a si mesmo e pedir perdão... Atos esquecidos até mesmo entre nós cristãos. O homem está tão seguro de si que já pensa não precisar mais disso..." Deus nos conceda sempre essa graça para que não tenhamos medo desse processo que gera vida e salvação, o perdão. Que Nossa Senhora te guarde. Rezemos um pelo outro!

    ResponderExcluir
  5. Querido amigo, sempre presente em minhas orações! Obrigada por sua vida que tantas vezes se faz sal e luz para muitos, inclusive para mim. Belíssimo texto! Um forte abraço cheio de saudades! Shalom! Bianca (Manaus-AM)

    ResponderExcluir
  6. Muito fico feliz por seu comentário, amiga Bianca, muito mais por você aqui no Blog! É confortante saber que me guardas na oração e fico feliz por colaborar a ser sal e luz na sua vida, não obstante minha vida tão marcada pelas minhas limitações, mas disponível à graça de Deus. Que bom que esse texto falou ao teu coração, o que muito realizou na minha vida. Tenho rezado com ele muitas vezes, pois está é a minha oração. Saudade de você minha linda amiga. Também rezo por ti. Que Nossa Senhora te guarde. Shalom.

    ResponderExcluir