2011-02-08

O segredo de João Paulo II



Maria Emmir Oquendo Nogueira
Cofundadora da Comunidade Católica Shalom

Há uma quase unanimidade sobre João Paulo II: ele trazia em si um segredo. Uma forma rara e, ao mesmo tempo, familiar de Deus falar ao mais profundo do coração do homem. Qual seria esse segredo? Isso é lá entre ele e Deus. Mas encontrei como uma réstia de luz a revelar seu segredo em poesia de sua autoria: Minha vida por Cristo.


Quando penso no mundo que se desvanece e morre
pela falta de Cristo;
quando penso no caos profundo em que se despenca
a inquieta e cega humanidade pela falta de Cristo;
quando me encontro com a força da juventude
apática e destroçada na própria primavera da vida
pela falta de Cristo,
não posso sufocar as queixas do meu coração.
Quisera multiplicar-me, dividir-me, para escrever, pregar,
ensinar Cristo.
E do espírito mesmo, do meu espírito
brota contundente e único grito:
Minha vida por Cristo!

Do “espírito do espírito” de João Paulo II, brota um grito contundente. O que provoca esse grito, o que lhe dá o combustível explosivo que forjou a “geração João Paulo II”? Veja: a causa da morte no mundo é a falta de Cristo. O caos em que se despenca a humanidade inquieta e cega á a falta de Cristo. Não são as drogas ou a mentalidade hedonista e descompromissada da “geração y” que a faz apática e destroçada, é a falta de Cristo.

Tudo o que destrói o homem tem uma causa comum, que passa longe das análises de qualquer ciência: a falta de Cristo. João Paulo II, como outros, encontraram-no e cultivam com Ele amizade contínua e felicíssima. São, como Ele, uma só alma, um só coração. Participam dos sentimentos e desejos do “espírito mesmo do Espírito de Deus”. A consequência desse amor mútuo é a mesma que levou o Pai a enviar Jesus, sua Palavra, seu Verbo, seu Grito: Minha vida pelos homens!

A esse grito lancinante, o homem que vê o profundo dos corações de Deus e dos homens responde, feliz: Minha vida por Cristo! A partir daí, tudo se resume, no segredo de João Paulo II: ao procurá-lo, você não o encontrará, pois não é ele quem vive. É Cristo que vive nele!  
 
Fonte: Revista Shalom Maná, Edições Shalom, janeiro de 2011. 

4 comentários:

  1. Oi AM
    Esse belo texto me fez lembrar da música Alma Missionária(Ziza Fernandes) que também sintetiza aquilo que doia no coração de João Paulo e de tantos outros cristãos de hoje e da história.
    "Leva-me aonde os homens necessitem Tua palavra, necessitem de força de viver onde falte a esperança onde tudo seja triste simplesmente por não saber Ti."
    Minha Vida por Cristo!!
    Valéria

    ResponderExcluir
  2. Que belissima poesia desse grande pastor. Compartilho de pensamentos tal qual descreve João Paulo II. " Quisera multiplicar-me, dividir-me, para escrever, pregar,ensinar Cristo." Agora vou multiplicar ela no meu blog rsrs. E espero que muitos possam nela se espelhar.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado querida Valéria!
    De fato, esta canção de Ziza retrata mesmo essa "dor" que existia no coração do papa e que existe em muitos de nossos dias. Pedir que Deus nos leve aonde os homens necessitam de Sua Palavra é uma coração que implica uma gravidade e pede, primeiramente, um requisito: que tenhamos essa Palavra e que tenhamos a coragem na hora da oportunidade. Aliás, as ocasiões são tão gritantes que estão por toda parte. Eu mesmo, algumas vezes que me deito para dormir, recordo-me: Senhor, deste-me tanto de Tua graça e dou tão pouco ou memso neste dia acho que dei tão pouco. Amanhã me ajuda a ser mais ousado, a ter mais coragem de ser sinal da tua presença. Minha vida por Cristo. Obrigado Lelinha, por seu riquíssimo comentário que nos possibilita tantas reflexões e "revisão de vida". Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Sim, Jeania, uma belíssima poesia! Divulgue mesmo, ajude a muitos a viver esse mstério: "Minha vida por Cristo!" Abraços!

    ResponderExcluir