2010-12-11

A verdadeira volta para casa


Na celebração do 3º Domingo do Advento (Gaudere= alegre espera), as palavras do profeta Isaías na primeira leitura (cf. Is 35, 1-6a.10) são consoladoras e renovadoras do estado de ânimo e da fé. Imaginemos a situação do povo de Deus, depois de anos de escravidão e sofrimento no exílio, no meio do qual já existem os abatidos e os desesperançosos, o profeta então fala da “volta para casa”, o que é uma realidade distante para muitos, mas uma esperança viva para outros.
Esta volta não é uma simples mudança de lugar, mas um processo de vida nova, de liberdade, de resgate da dignidade de povo de Deus e do recomeço dos propósitos. A profecia é ousada, desafia o coração quando ordena que “exulte a solidão e floresça como um lírio”. Porém, para que isso se torne realidade existe “uma parcela de reação” que não dispensa a ninguém, especialmente os que se veem tragados pela tentação à desistência: “Fortalecei as mãos enfraquecidas e firmai os joelhos debilitados. (...) criai ânimo, não tenhais medo. Vede, é o vosso Deus (...), ele vem para nos salvar” (cf. Is 35,3-4).
É significativa a relação entre a “volta para casa”, por parte do povo e “a volta para a nossa casa”, por parte de Deus, ou seja, a sua vinda libertadora, “o doce abaixar-se de Deus até nós”. “Vede, é vosso Deus, (...) é ele que vem para nos salvar”, diz o profeta! Muitos de nós não cremos na volta para casa, para a morada definitiva, e até achamos estranho se falar de céu, talvez pelo forte caráter da materialidade com que vivemos as coisas e os acontecimentos. Da mesma forma, acreditar que Deus virá parece um absurdo para outros tantos. Uns dizem: “Se Deus existe, ele já nos abandonou faz tempo. O que esperar mais diante de tanta barbárie e do silêncio de Deus?”
É a Palavra de Deus que nos responde: “Os que o Senhor salvou, voltarão para casa com infinita alegria em seus rostos” (Cf. Is 35,10). A salvação é o que nos faz sair dos nossos muitos exílios, inclusive o desânimo, e nos leva de volta para casa. E a salvação se dá início com a fé operante em Jesus, quando não deixamos que os acontecimentos tenham a última palavra para nós e para os outros, para a Igreja e para aqueles que recorrem a nós, muitas vezes desesperados. A salvação é o amor operante que indica em qual direção está a nossa casa, porque é para lá que iremos. Vem Senhor Jesus, ajuda-nos nesse processo da verdadeira volta para casa, pois é isso que gera a verdadeira alegria, a alegre espera.
Antonio Marcos

Um comentário:

  1. "verdadeira alegria,a alegre espera".
    Hoje em dia, a correria é tão grande,que niguém gosta de esperar. E nessa época em que vivemos,o advento, infelizmente a maioria das pessoas não sabem esperar com 'a alegria eperança' por Cristo que vai nascer.

    Parabéns pelo blog,sempre para evagelizar!
    shalom!

    ResponderExcluir