Hoje é o começo de uma vida nova!

Escrito Por Antonio Marcos na quinta-feira, dezembro 02, 2010 Sem Comentários
Uma das cartas do “Vorazmente Teu” do C.S. Lewis conta numa parábola como Satanás examina os jovens demônios aprendizes sobre os seus planos para conquistar almas para o Reino das Trevas. O primeiro aprendiz conta que tem o plano de dizer às pessoas que não há Deus e que por isso podem fazer o que lhes passar pela cabeça. Satanás responde: “Isso nunca resultará. As pessoas têm sentimentos religiosos. Há ordem no universo. Há o testemunho dos mártires. Não. Isso nunca resultará!”. O segundo demônio diz: “Mestre vou dizer às pessoas que não há inferno, que não há castigo para o pecado”. De novo, Satanás responde, desapontado: “Não, isso não vai resultar. As pessoas não são assim tão estúpidas. Elas têm sentido de justiça. Acham que o crime tem de receber castigo”. O terceiro aprendiz demônio aproximou-se do pódio e disse confiadamente: “Vou dizer às pessoas que têm muito tempo… amanhã podem arrepender-se e mudar. Gozem agora. Mais tarde arrenpender-se-ão”. Satanás ficou encantado, bateu palmas e dançou de alegria.”

Fonte: (Apud) - D. Sean O’Malley, OFM, Cap. Peregrinos e Pastores, 2000.
Imagem: Mãos do Pe. Almeida, CCSh - Momento da Consagração em uma das Missas do Tempo do Advento.

Considerações:

O advento é um tempo particular de convite à conversão, à mudança de vida, a pensar e renovar os bons propósitos, redirecionar a existência a partir da abertura do coração para acolher a Salvação que veio e virá. O texto de C.S. Lewis não quer passar uma “teologia do medo do inferno e de um Deus castigador”, mas chamar a atenção para a questão do sentido que estamos dando aos nossos dias, se estamos na infeliz convicção de que devemos apenas aproveitar o máximo de uma vida sem Deus para só depois nos voltarmos para Ele. Quando não caminhamos num processo de mudança interior, por mais difícil que seja, naquela sadia tensão de nos aproximarmos mais e mais do projeto amoroso de Deus para nós, deixando-nos alcançar pela sua misericórdia, não adiando a nossa felicidade, então podemos, de fato, estar desperdiçando o melhor de nós, que é "dar a Deus o que é de Deus". Portanto, é hoje o dia da Salvação. Santo Agostinho rezava sempre: “Não amanhã, Senhor, mas hoje é o começo de uma vida nova!”. “Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações” (Hb 4,7).

Antonio Marcos