A fé que mais me agrada é a esperança

Escrito Por Antonio Marcos na quarta-feira, dezembro 01, 2010 Sem Comentários
Cardeal Van Thuan

Com a Encarnação de Jesus, o Reino de Deus já se tornou realidade e a plenitude dos tempos já se deu. Mas Jesus afirma que o Reino está crescendo lentamente, às escondidas, como uma semente de mostarda. Entre a plenitude e o fim dos tempos, a Igreja caminha como povo da esperança.

Charles Péguy já afirmava: “A fé que mais me agrada é a esperança” (Péguy, 1954 p. 15). É verdade, porque na esperança, a fé, que atua mediante a caridade, abre novos caminhos no coração das pessoas e tende a realizar o mundo novo, a civilização do amor. Mais ainda, ela traz ao mundo a vida da Santíssima Trindade, o seu modo de ser e de agir, assim como foi manifestado em Cristo e transmitido no Evangelho.

Irmãos, é esta a grande vocação a que fomos chamados. Não por mérito nosso, mas porque eterna é a sua misericórdia (cf. Sl 100,5). Hoje, como nos tempos do Antigo e do Novo Testamento, Deus age nos pobres de espírito, nos humildes, nos pecadores que a ele se convertem de todo coração.

Fonte: François X. N. Van Thuan. Testemunhas da Esperança, 2007.