2010-11-22

Quem já foi à Missa no Shalom sabe do que estou falando...


Um dos maravilhosos frutos da graça da Renovação Carismática Católica tem sido, sem dúvida, o despertar dos fieis para a vida litúrgica. Evidentemente, o motor desse despertar  foi o Concílio Vaticano II (62-65­) com todas as reformas importantes que fez na celebração do Mistério Eucarístico. No entanto, há de reconhecer os exageros ocorridos ao longo desses anos, inclusive até nossos dias, quer sejam pela RCC, quer pelas Novas Comunidades e Ministérios ou formas de expressões diversas e de cunho renovado.
Às vezes, percebe-se, que as nossas celebrações estão carregadas de vaidade e de caprichos que se voltam muito mais para quem as prepara e não para o Mistério de Cristo, o centro e sentido de todo ato litúrgico. Talvez falte, em certas situações em que observamos e vivenciamos, aquela sobriedade nos nossos ornamentos litúrgicos. Não se pode esquecer que a beleza litúrgica tem como objetivo favorecer que as pessoas celebrem com alegria e piedade o Mistério de Cristo, dando assim honra a Deus, nunca para outro objetivo. Quem já foi à Missa na Comunidade Católica Shalom, especialmente nas casas de Fortaleza (mas não só) sabe perfeitamente do que estou falando, é tudo muito belo e dá aquele gosto de rezar, de contemplar, de vivenciar aquela experiência. Que isto nunca se perca não só na Comunidade Shalom, mas na Renovação Carismática Católica. O Povo de Deus agradece!
Antonio Marcos

Um comentário:

  1. Excelente comentário meu irmão porque a despeito de tornar "bonita" a celebração faz-se cada aberração... Bom mesmo é que houvesse a obrigatoriedade de se ler os documentos da Igreja sobre a Liturgia para, pelo menos saber o que não se deve fazer em todas as paróquias e Comunidades. Como se tem no Shalom uma riqueza de formação litúrgica quem sabe um transbordar...

    ResponderExcluir