2010-10-08

Ensina-me a Te amar. Ensina-me a te buscar!


Adler Trindade A. da Costa
Consagrado na Comunidade de Vida Shalom - Testemunho de um retiro pessoal de oração

Quero partilhar uma experiência que vivi neste último sábado. Há mais de quatro meses eu estava sem “fazer retiro pessoal”, ou seja, estava infiel a Deus e à Vocação. Comecei a refletir e a perguntar-me se ser fiel é fazer tudo, cumprir tudo; ou fidelidade está ligada ao AMOR em que vivo ou faço tal coisa.

Graças a Providência Divina (1), consegui ir para a Serra do Estevão em Quixadá. Fui para o Mosteiro São José para, enfim, “fazer o meu retiro pessoal”. Levei a Bíblia, os Estatutos e os Escritos da Comunidade, Imitação de Cristo, Breviário, caderno antigo de oração, uma relíquia de S. Cura d´Ars, uma cruz e vários outros santinhos.

Cheguei à sexta à noite no mosteiro e já fui logo agradecendo a Irmã Oliva que me acolheu tão bem, sempre com sorriso, na alegria de servir. Levou-me até o quarto que eu iria ficar. Cama arrumada, toalha, sabonete. Garrafa de barro com água, uma pequena mesa; e na parede: A Cruz de Cristo! Fiz as Completas e fui logo dormir. Milagre!!! Antes das 22h estava eu indo dormir!!!

3h30 da manhã me acordo, vou ao banheiro, bebi um pouco d água e percebi que estava sem um pingo de sono. Assustei-me com a hora, tudo escuro. Mas o profeta Oséias me ajudou a entender que não era insônia. Lembrei-me da seguinte passagem: “Por isso, eis que eu mesmo o seduzirei, conduzi-lo-ei ao deserto (à Serra do Estevão) e falar-lhe-ei ao coração. Dali restituirei suas vinhas, e o vale de Acor será uma porta de esperança” (2). Não perdi tempo. Fui tomar um banho para despertar ainda mais. Ufa!!!! Chuveiro elétrico!!! Ô Deus bom! Ele cuida de tudo!

4h comecei a rezar o Rosário e depois a Liturgia das Horas (Laudes); e ali Deus começava a me falar: “Como é bom agradecermos ao Senhor e cantar salmos de louvor ao Deus Altíssimo, pois me alegrastes com vossos feitos e rejubilo de alegria em vossas obras” Dei palavras de louvor e logo em seguida, veio me dizer o que iria fazer: “Dar-vos-ei um novo espírito e um novo coração. Tirarei de vosso peito este coração de pedra, no lugar colocarei novo coração de carne” ; e fui mergulhando em cada palavra, cada versículo. Era Deus falando comigo!

O café da manha só iria ser servido a partir das 7h. Não tive pressa em rezar com a Palavra. Deus me falou muito, meu coração batia mais forte. Talvez fosse a fome, mas também, porque a Palavra penetrava no meu coração. Tomei café e fui continuar rezar o Rosário. Voltei pro quarto. Bateu o sono. E agora? “Não posso dormir. Estou “fazendo retiro pessoal!”; “vigiai e orai!”; fiquei com sentimentos escrupulosos, mas Deus me fez entender que Retiro Pessoal é descansar no Senhor. É estar com Ele, ouvi-lO, amá-lO, louvá-lO. Tirei um pequeno cochilo e voltei a rezar. Peguei meu caderno antigo de oração e fui lendo orações de dois anos atrás e pude contemplar tamanha fidelidade de Deus que me tinha feito superar tantas lutas, tantas provas. Deus sempre fiel! Pude reler uma profecia que Deus tinha me dado num retiro: “A tua vida é para testemunhar que não há felicidade maior do que estar na minha presença!”. ENTENDI porque canto sempre que Deus é a minha felicidade!

Fui almoçar e em frente à mesa uma frase: “tudo o que vem da mão de Deus, seja prazer, seja dor, devemos aceitar sem titubear!” Mais uma vez, Deus falando! Após o almoço, voltei a rezar o Rosário. Fui caminhar e comecei a pegar o caminho que levava a um Cruzeiro próximo do mosteiro. ENTENDI! Estava rezando os mistérios dolorosos e Deus queria me mostrar a árvore da vida: a Cruz! O sol era do meio-dia, estava de calça jeans, pensei em desistir, mas continuei. Chegando lá, encontrei uma grande Cruz, vazia. ENTENDI! “Estou vivo! Após a Cruz, há a Ressurreição!” Sentei aos pés da Cruz de cara pro sol, o chão quente. Queria fazer uma pequena penitência; mas em pouco tempo, uma nuvem cobriu o sol e fez-se uma grande sombra. ENTENDI! “Eu quero o amor e não o sacrifício!” Deus não parava de falar ao meu coração!

Voltei para o quarto. Tentei dormir e nada. ENTENDI! Deus queria me falar mais. Peguei um livro sobre o celibato e Deus continuava a falar comigo: “o puro de coração não vai aonde leva o coração, mas ama aquilo que é digno de ser amado (...) puro de coração é aquele que é possuído por um único grande amor, no qual reconhece a própria verdade. (...) puro de coração precisa renunciar tudo o que possa travar a caminhada ou desviar a expectativa (...) o puro de coração sabe que é necessário fazer, por vezes até as lágrimas, a experiência de que Deus é o nosso único amor. Por outro lado, não há nada de mais intacto de que um coração dilacerado!” (3) Fiquei um bom tempo meditando com estas palavras.

Às três horas da tarde, escutei “pi pi” do relógio que eu tinha levado para o retiro. ENTENDI! Hora de rezar pelas almas. Rezei o terço da misericórdia e depois fui me preparar para a Missa. E Deus continuava falando comigo através da Liturgia. Numa das estrofes do salmo dizia: “devo cumprir, ó Deus, os votos que voz fiz, e vos oferto um sacrifício de louvor, porque da morte arrancastes minha vida e não deixastes os meus pés escorregarem, para que eu ande na presença do Senhor, na presença do Senhor na luz da vida.” ENTENDI! Deus quer minha fidelidade, o meu amor. Comecei a cantar uma música do Pe Almeida Neto: “Ensina-me a Te amar. Ensina-me a te buscar. Ensina-me a Te conhecer e assim saber: que Tu és o meu Deus grande. És o meu Deus forte. Tu és o meu Deus, Tu és o meu tudo, Senhor!” ENTENDI! Retiro pessoal não tem que ter isso ou fazer aquilo. Não tem uma fórmula. Retiro pessoal é um encontro de Deus comigo. De Deus com você! Que quer falar ao meu, ao seu coração.

Já no fim do retiro, resolvi ler o que diz nossos Estatutos quando cita sobre os retiros: “Periodicamente cada membro da Comunidade retira-se durante um dia para, na solidão, encontrar-se com o Senhor.” POR QUE NÃO LI ANTES?

Que Nosso Senhor nos ajude a sermos fiéis à sua voz. Lembrando que “a voz do Amado é reconhecida pela alma que O busca e tem intimidade com Ele na oração.” (4) Que a Virgem Mãe de Deus, a Rainha da Paz, nos ajude a viver com amor a nossa Vocação!

“É certa a voz que nos chamou; e mais certa é a graça que nos sustentará até o fim” (Moysés Azevedo) “Procurai o Senhor enquanto Ele se deixa encontrar (Is 55,6)”

Retiro Pessoal - Quixadá, 18 de setembro de 2010.

Notas do Texto:

1 - Pedi ao meu coordenador de casa um dinheirinho e ele me deu. Expus a necessidade de tentar fazer um bom retiro;
2 - Oséias 2;
3 - CENCINI, A. Virgindade e Celibato hoje. Para uma sexualidade pascal. São Paulo: Paulus, 2008;
4 - ESCRITOS COMUNIDADE CATÓLICA SHALOM, Amor Esponsal, parág. 21.

0 comentários:

Postar um comentário