A ave e seus filhotes

Escrito Por Antonio Marcos na quinta-feira, outubro 28, 2010 Sem Comentários

Escritor Wayne Jacobsen
Esta história se deu certa tarde do lado de fora das muralhas da antiga cidade de Jerusalém. Um grupo de bombeiros estava verificando alguns focos remanescentes depois de controlar um incêndio florestal. Enquanto caminhavam e meio à paisagem enegrecida, entre colunas de fumaça ainda surgindo da vegetação queimada, algo volumoso no caminho chamou a atenção de um deles.
Ao se aproximar, o bombeiro notou que eram os restos carbonizados de um grande pássaro. Como os pássaros podem facilmente voar para longe das chamas, o bombeiro ficou se perguntando o que havia de errado com aquela ave que não conseguira escapar do incêndio. Será que ela estava doente ou ferida?
Chutou a carcaça para fora do caminho com a bota. Ao fazer isso, ficou surpreso de ver um movimento de penas ao redor de seu pé. Quatro filhotes se agitavam em meio à poeira e à cinza e em seguida saíram correndo pela encosta da colina. O corpo da mãe o protegera das chamas. Ainda que o calor tenha acabado por consumi-la, esse gesto permitiu que a ave salvasse os filhotinhos. Diante do perigo das chamas que se aproximavam, ela ficou com a sua prole. Essa era a única chance que eles tinham de sobreviver, portanto, disposta a arriscar a própria vida, a mãe os cobrira com o seu corpo. Ela poderia muito bem ter voado para longe e começar outra família mais tarde. Por que se obrigou a ficar em meio à fúria do fogo?
Seu corpo morto e seus filhotes ilesos ilustram muito bem a história: a ave se submeteu ao maior dos sacrifícios para salvar sua prole. Foi isso que o Criador do Céu e da Terra fez [ através do Sacrifício de Seu Filho Jesus Cristo no madeiro da cruz] para proteger da destruição seus filhos desgarrados.
Fonte: JACOBSEN, Wayne. Deus me ama, 2007.
Considerações:
Comovente é mesmo esta história e não há como pensar diferente, mais ainda porque ela remete ao fato da Cruz, ao mistério do Deus que nos amou ao extremo de dar a vida do Seu próprio Filho por nossa salvação, por misericórdia e gratuidade, pois jamais éramos e somos merecedores. Esta história, desde quando a li pela primeira vez, me emocionou e me falou muito por vários dias e até hoje, sempre que a leio. Contá-la numa pregação do amor de Deus ou pecado e salvação é ideal, sobretudo, incutir em nós mesmos a força da mensagem que ela comunica.
O mais impressionante de tudo é que esta história não remete somente ao passado, mas, principalmente ao presente, pois a salvação é hoje! Outras chamas vêm ao nosso encontro, seja a perda, o fracasso, o pecado, o erro, a doença, a solidão, o desacreditar dos outros ao nosso respeito, a tentação de acreditar que não aja mais uma esperança, uma oportunidade de recomeço, de reconstrução interior e de voltar a gozar daquela plena felicidade para a qual Deus nos criou, daí que o amor de Jesus Cristo é a nossa melhor escolha, o nosso melhor refúgio. Obrigado meu Deus, outra vez me abrigaste debaixo de Ti e me salvaste das chamas da desesperança. Receba minhas lágrimas de gratidão e o meu pobre, mas sincero amor.
Antonio Marcos