2010-10-12

A amizade impede que a vida se fossilize


Cada um de nós tem consigo testemunhos luminosos e contagiantes da beleza de amizades que vivemos ou que tenhamos vividos. Certamente sempre existem as marcas indeléveis de vidas que construíram história dentro de nós. Ainda que não estejam mais ao alcance de nosso convívio não signifique que vivamos um saudosismo, mas que somos de certa forma, ainda nutridos por este amor vivido.
A amizade impede que a vida se fossilize e se torne repetitiva e insatisfeita. É bem verdade que entregar-se a alguém é confiar a própria vida ao outro, mas este confiar não é de forma irresponsável, mas a partir da certeza de que estamos voltados ligados por um amor maior. Já afirma o escritor de espiritualidade católica, Amedeo Cencini: “A comunhão com Deus está sempre no início e no fim, no coração e no centro de todas as comunhões humanas”. É exatamente isto, deixar que Deus seja o centro para que a amizade não se instrumentalize e não envelheçamos nas virtudes. Na amizade os amigos também envelhecem, é óbvio, mas o coração não envelhece.
Antonio Marcos

0 comentários:

Postar um comentário