2010-09-01

A Palavra mostra que Deus está falando conosco!


Muitos rotularam o judaísmo e, na sequência deste também o cristianismo, como “religiões de livro”. Isso certamente é uma visão parcial. Mas tem um grão de verdade. A palavra e a linguagem têm papel importante no cristianismo. A Palavra de Deus que formulamos, que cantamos, é algo sacramental, através da qual Deus nos toca, abrindo o nosso coração para o seu mistério. Na Palavra, o coração de Deus se revela a nós. E a palavra pede uma reposta.

Na palavra já se delineia um objetivo pessoal. Digo uma palavra ao outro e o toco com a minha palavra. Abro a mim mesmo a través da palavra e através da minha voz para me encontrar com o outro. Através da palavra sempre se tem um encontro com a pessoa em sua singularidade.

Palavras sempre vêm também carregadas de emoções. Portanto, os cristãos e os judeus têm uma relação emocional com Deus. Deus toca o meu coração. Ele me enche de um sentimento de amor, de afeição, bem-querer e paz. Na Palavra da Bíblia encontramos Deus. Nas muitas palavras da Bíblia, Deus se apresenta a nós como O que está diante de nós, como o Tu que nos fala. As palavras fazem com que, no nosso coração, a pessoa seja sensibilizada. Palavras criam uma realidade. E é verdadeira também a recíproca: Sem palavras não temos acesso à realidade. As palavras da Bíblia criam uma realidade própria, um espaço em que Deus, o mistério indizível e indescritível, manifesta-se como as reminiscências de uma pessoa.

Ao pronunciar e cantar a Palavra de Deus, Ele nos envolve em sua salvação. As palavras da Bíblia são palavras de salvação que querem penetrar cada vez mais profundamente em nosso coração. A Palavra da escritura não quer apenas ser meditada. É preciso que ela seja anunciada sempre de novo para que a ação salvadora divina, manifesta em Jesus Cristo, venha a tocar as pessoas também nos dias de hoje.

O apóstolo Paulo está convencido de que a ação histórica de conciliação que Deus operou através da morte e ressurreição de Jesus precisa da Palavra, para chegar até as pessoas (cf. 2Cor 5,19). Portanto, o sermão vem a se constituir como parte essencial da realização da reconciliação. Ao ouvir a Palavra de Deus, as promissões e prenunciações operam os seus efeitos em nós. A Palavra abre os nossos olhos para a verdadeira realidade. Ela nos mostra que Deus é o imanente – o Deus que está conosco – que agora está falando conosco e que, em sua palavra, nos mostra o caminho para a verdadeira vida.

Fonte: Anselm Grun. A Fé dos Cristãos (Espiritualidade Cristã), 2009.

0 comentários:

Postar um comentário