2010-08-22

Não preciso me comparar aos outros, pois a vontade de Deus pra minha vida não se confunde!


Nesse sábado passado, fui à Santa Missa no Shalom da Paz (aqui em Fortaleza), Liturgia já do XXI Domingo do Tempo Comum e tivemos a alegria de ter o Pe. Marcos Chagas como presidente da celebração. A gente sabe que, pelo carisma dele de lhe dar com os jovens e pela piedade e alegria com que celebra a Eucaristia, como também pela sabedoria nas palavras dirigidas à assembléia em sua homilia, é sempre um grande prazer viver a Santa Missa com Pe. Marcos. Também era o dia do seu aniversário natalício, mas nós ganhamos o melhor presente. 
Fiquei pensando depois na grande providência de Deus em ter me proporcionado a oportunidade de ir à Missa no Shalom da Paz, por ocasião do encontro com uma amiga da CV, a qual veio à Fortaleza para participar de um retiro, e poder ouvir tudo aquilo que Pe. Marcos falou na homilia. Sabe aquele dia que você precisa estar no lugar certo, com a pessoa certa, ouvindo na homilia as palavras certas? Pois é, assim era eu naquele dia. Palavras certas não querem dizer só prazerosas, mas necessárias para a edificação, a correção, para o ânimo e a esperança se renovarem juntamente com o desejo de conversão. Pensei: Meu Deus, muito obrigado pelo sacerdócio do Pe. Marcos!Muito obrigado por essas homilias que, literalmente, “arrancam de dentro de nós o melhor daquilo que temos e somos”, como explicava o Pe. Marcos ser este o sentido da palavra “educação”, conforme narra o autor da Carta aos Hebreus: “Meu filho, não desprezes a educação do Senhor, não desanimes quando ele te repreende; pois o Senhor corrige a quem ele ama e castiga a quem aceita como filho” (Hb 12,5-6)
Pe. Marcos comentou o final da primeira leitura do profeta Isaías quando diz: “Escolherei dentre eles alguns para serem sacerdotes e levitas” (Is 66,21). Explicou-nos que se alegrava pelo seu reencontro com esta palavra que fez parte do seu processo vocacional ao sacerdócio ministerial. No entanto, ressaltou a importância do sacerdócio comum dos fiéis, o mais importante. Cada um é chamado à santidade e a viver a sua vocação. Não precisamos nos comparar aos outros. É como se Deus tivesse feito uma “estrada personalizada” para cada um. Na sua estrada só você pode seguir, responder, corresponder ao chamado de Deus. Dizia ainda o Pe. Marcos: Infelizmente nós nos preocupamos demais com esta ou aquela pessoa, com os fatos e acontecimentos, com as calúnias, as decepções e ficamos abatidos, impacientes, esquecendo assim a nossa via de santidade. Meus “caros e caras”, isso vai passar!
É preciso “paciência histórica” porque a vontade de Deus pra sua vida não se confunde. Quando falamos nas “demoras de Deus” é apenas um modo de falar, porque, na verdade, Deus chega com sua vontade na hora certa e no momento certo. Ele é quem decide. E saibam, a vontade de Deus se identifica com Ele mesmo. Há uma inseparável ligação entre o “que Deus quer e o que Ele é”. Portanto, liberte-se de estar comparando-se ao outros, pois, meus irmãos, quando descobri que não precisava me comparar aos outros, e que se eles têm esses dons e conseguem ser assim, que sejam, mas eu sou eu; Deus me fez único, sou amado pelo mesmo Amor, o qual me cumula com aquilo que é o melhor para mim, sim, quando fiz esta experiência – concluía Pe. Marcos – tornei-me verdadeiramente um homem livre! Deu pra perceber a riqueza da homilia não foi? Pois é, Pe. Marcos falou muitas outras coisas maravilhosas, mas o artigo já está grande e tentarei partilhar em outros dois mais breves. Obrigado, Senhor, pelo sacerdócio do Pe. Marcos e pela verdade de que não preciso me comparar aos outros. Tua vontade pra minha vida não se confunde!
Antonio Marcos

10 comentários:

  1. Como sempre as suas partilhas em seu blog me ajuda a crescer muito. Também preciso dizer o quanto nós ( Missão de Brasilia), ficamos felizes com o sacerdócio do Padre Marcos. Ele nem nos conhecia e veio para o Acampamento para se ofertar inteiramente a Deus e aos jovens, grande graça e presente de Deus foi tê-lo conosco durante os dias de acampamento. Quantos jovens puderam experimentar de Deus através das suas partilhas, homilias, brincadeiras. Grande servo de Deus e Amigo dos jovens. Ainda nas oitavas do seu aniversário peço muito a Deus que o abençoe muito e lhe conceda sempre a graça de permanecer em Deus e com o espirito sempre jovem.
    Saber que a vontade de Deus para nossas vidas não se confunde é um grande consolo de Deus para mim hoje.
    Tenho certeza de que no mistério da Eucarístia diária isso se concretiza dentro de nós cada vez mais.
    Shalom! Rosy :)

    ResponderExcluir
  2. Querida amiga Rosy, Shalom!

    Obrigado pelo seu comentário, por sua vez, tão rico a confirmar o bem que é para nós e para a Igreja a vida e o sacerdócio do Pe. Marcos Chagas. Fico muito feliz por saber que ele foi para o acampamento de jovens em Brasília e que seu testemunho tenha sido forte na vida dos jovens. Sim, Pe. Marcos é um homem de Deus, um apaixonado pelos jovens. Literalmente podemos cantar a ele: "Quero ofertar minha vida, gastar os meus dias, minha juventude por amor, porque o meu perfume não se espalhará se não se derramar por amor a Deus". O perfume da vida e do sacerdócio do Pe. Marcos é mesmo um precioso bálsamo. Obrigado Rosy, saudades de você e de todos os amigos em Brasília. Divulgue o Blog por ai, entre os jovens. Evangelizemos! Assim que for possível, hei de aparecer...bj!

    ResponderExcluir
  3. Que formação fantástica...
    Caro Antonio Marcos, confesso que sua partilha foi também providencial para a minha vida hoje... Moro na Bahia e sempre visito seu blog e esta formação chamou-me atenção pela linda frase do título; além de que me ajudou a iniciar o processo de regresso para a minha via de santidade que acabei perdendo de vista devido às inúmeras calúnias e decepções com diversas pessoas.
    Estou me sentindo sem esperanças nas pessoas, e isso me faz sufocar em meu coração o desejo ardente de evangelizar, principalmente os jovens. Já não me sinto mais animada. Mas, graças a Deus essa formação me mostra uma nova esperança, pois me faz entender que meu olhar precisava e precisa estar fixo somente em Deus e não nas pessoas, e assim já não haverá mais decepções.
    Assim como você, tbm vou deixar para partilhar mais na continuação desta formação, que ficarei aguardando ansiosamente.
    Será que não seria possível conseguir o áudio da referida homilia?
    Felicidades em sua missão e parabéns pelo blog.
    Ah! Muito obrigada por não reter para si tão grande riqueza como as diversas formações e partilhas do seu blog.
    Que Deus te abençoe e te faça mais santo e mais feliz.
    Até a próxima.
    Erica

    ResponderExcluir
  4. Minha irmã em Cristo, ÉRICA, Shalom!

    Muito obrigado! Alegrei-me profundamente por seu comentário, porque é fruto do que esta formação realizou na sua vida, pela graça de Deus. Sua partilha sincera e corajosa também parece nos aproximar, pois compreendo muito bem a dor de ser alvo da calúnia e as decepções que ela provoca. Só quem viveu, sabe! No entanto, como diz Pe. Fábio de Melo: “Melhor é a dor da humilhação do que a dor do remorso pelo mal praticado aos outros!”

    Às vezes não temos como evitar essas feridas na alma, mas temos como fazer com que elas não nos deixem quebrados, rachados para sempre. O amor de Cristo em nós, aquele manifestado até o extremo da cruz, é capaz de nos fazer perdoar a nós mesmos e os outros, e prosseguirmos o caminho de forma livre. Costumo dizer que “as pessoas têm suas razões para as ações que destroem os outros. Damos aos outro aquilo que temos, seja o amor ou, infelizmente, o ódio, a mesquinhez, a mentira e a injustiça”. Mas a vida continua, tem que continuar porque devemos olhar para Jesus, Ele nunca nos decepciona.

    Então, Érica, fico feliz por você ter encontrado nesta partilha um pouco de motivação para continuar, lembrando que tudo passa. Às vezes que pensei em desistir também me lembrei da vida de Jesus e lembrei que recebi muito de Deus, sem merecimento algum, mas por misericórdia, e eu também não sou justo, não sou bom, quero ser, portanto, não posso deixar de dar aos outros o que recebi. É exatamente quando cuidamos das coisas do Senhor, ainda que as nossas estejam a “desmoronar”, que Ele cuida de nossas ruínas, “faz novas todas as coisas, faz uma Obra Nova”.

    Sua partilha será sempre bem vinda, Érica, porque também me renova a continuar a alcançar a tantos com o que Deus me confiou. Obrigado! Infelizmente, acredito eu, que o áudio da homilia do Pe. Marcos não foi gravado, era Missa do sábado para os jovens, no Shalom da Paz, e eles não costumam gravar, mas, prometo que se um dia conseguir farei com que chegue até você. Reze por mim e vamos adiante, o céu vale mais! A melhor evangelização é mesmo testemunho de vida, especialmente quando ele nasce cada dia da confiança na misericórdia de Deus que, mesmo sabendo das nossas fraquezas, não desiste de nós. Assim, Érica, não desistamos de fazer chegar a vida de Deus aos que cruzam o nosso caminho!

    Antonio Marcos

    ResponderExcluir
  5. Prezado Antônio Marcos,
    Desde já muito obrigada pela atenção e pelo comentário que se tornou para mim mais uma formação rumo ao meu regresso para minha via de santidade. De fato sabemos como doem as calúnias e incompreensões que recebemos gratuitamente. É uma dor tão intensa que parece rasgar nossa alma... Nunca imaginava que um dia passaria por isso. Cheguei ao ponto de entrar no meu quarto olhar para o crucifixo e com lágrimas que pareciam navalhas perguntei a Jesus se era essa a recompensa que Ele reservava aos justos... Eu esperava que Ele fosse me poupar de todo esse sofrimento, afinal eu havia ofertado a Ele o melhor da minha vida (minha juventude) para que tantos outros pudessem experimentar a graça de conhecê-Lo, eu permiti que Ele mudasse o curso da minha história, nEle eu construí meus planos e sonhos... Estes eram os meus questionamentos e argumentos devido à imensa dor... Mas ao final, após contemplar o crucifixo ouvi uma voz que dizia: a ressurreição se dá após a cruz. Como vc, também recebi mto de Deus sem merecer, ainda não sou santa e justa, mas me esforço a cada dia para ser.
    Porém hoje eu estou numa situação muito difícil em relação ao perdão, sei que preciso de reconciliação: minha com estes acontecimentos, minha em relação a Deus e em relação às pessoas que me causaram esta dor... É difícil, ainda dói, mas tenho me esforçado muito para esquecer, já cumprimento essas pessoas, mas às vezes tudo vem à tona novamente e quando vejo continua tudo inflamado.
    Você me sugere algum livro que possa me ajudar em relação a isso?
    Muito obrigada pela atenção e paciência, essa partilha tem me ajudado muito.
    Que Deus cuide de ti!
    No Shalom do Pai!
    Erica

    ResponderExcluir
  6. ÉRICA, Shalom!
    Obrigado por suas partilhas, pelo que Deus está realizando na sua vida. Penso que contextos da vida humana que se passam dentro de você, como também dentro de mim, são realidades na vida de muitas pessoas, inclusive de quer passa aqui no Blog e pode ter a oportunidaede de ler nossas partilhas. Obrigado pela sua coragem e fé em Deus, o que faz com que não desista de recomeçar. Sim, vou ver aqui algum dos livros que já li para te indicar, em breve te comunico. No entanto, peço a quem estiver acompanhando suas partilhas, se assim o quiser e tenha alguma indicação de livro bom, que o faça aqui mesmo, postando como comentário para você, querida Érica. Que Nossa Senhora te guarde! Até breve!

    ResponderExcluir
  7. Érica recomendo um livro muito bom que se chama "Vencendo Aflições Alcançando Milagres" do Autor Márcio Mendes da Editora Canção Nova.Ele tem uma linguagem muito simples e é de uma grande riqueza, estou lendo e está me fazendo muito bem.
    Valéria

    ResponderExcluir
  8. Obrigado valéria, por sua indicação de leitura. Desculpe-me Érica a demora em te sugerir uma leitura. Além da indicação de Valéria, se preferir pode ler: "Viver Reconciliados" (Amedeo Cencini), edições Paulinas. Este livro é maravilhoso porque foi escrito numa perspectica psicológica e evangélica, visando a vida em "comunidade", ou seja, não só os consagrados, os Leigos, mas também a família e as relações. Uma abordagem muito interessante sobre o perdão. Traz uma linguagem um pouco acadêmica, mas logo se torna uma leitura agradável. Este livro foi usado na Formação dos Postulantes da CVShalom. Depois, duas leituras complementares: "Testemunhas da Esperança" (Van Thuan, Cardeal)Ed. Cidade Nova (Focolares). Um livro espetacular. Narra a história de 13 anos na prisão, na época da Guerra do Vietnã, e que mesmo na prisão, superou seus medos e conquistou seus agressores, amou-os sinceramente e perdoou-os. Fantástico! Depois o Romance de Augusto Cury, "Futuro da Humanidade", relação de um mendigo e um aluno de medicina, uma relação de descobertas e curas impressionantes, uma reconciliação com a história de vida e a capacidade de darmos um significado construtivo às nossas mazelas, especialmente ao que "possam ter feito a nós". Tería outros, mas deixo para outras oportunidades! Um grande abraço! Estou rezando por você! Shalom!

    ResponderExcluir
  9. Muito obrigada meus irmãos. Meu Deus! Fico imensamente feliz pelas indicações, e já me sinto motivada a levantar para dar o primeiro passo... Vou providenciar todos eles, e durante as leituras voltarei aqui para partilhar ou até pedir socorro rsrsrs.
    Quanto às indicações, já tinha ouvido falar do "Vencendo Aflições Alcançando Milagres", mas tinha esquecido; "Viver Reconciliados" a poucos dias tava olhando na internet para comprar, mas achei que a linguagem seria direcionada apenas para vida consagrada. Emmir fala mto dele no Tec. fio de Ouro. "Testemunhas da Esperança" nunca li, mas conheço um pouco da história do Cardeal; e o "Futuro da Humanidade" ainda não conhecia, mas isso será por pouco tempo. Já to ansiosa para começar a leitura.
    Valéria, muito obrigada por sua atenção e colaboração; que Deus te ajude e fortaleça seu caminhar.
    Antônio Marcos, que Deus retribua com grandes bênçãos toda sua disposição em servi-Lo e de colocar à disposição os dons que Ele te confiou. Afinal, atitudes como estas nos dá esperança e nos motiva a continuar lutando por um mundo melhor... Finalizo com uma bela frase de Madre Teresa de Calcutá e que resume a importância desse blog e da sua atitude de não reter para si os aprendizados que a vida lhe proporciona "O que eu faço é apenas uma gota, mas sem ela o oceano seria menor".
    Obrigada pelas orações e grande abraço!
    "Vai pássaro de Deus, voa pelo mundo e canta"

    Imensamente grata,
    Érica

    ResponderExcluir
  10. Meu caro irmão, Antônio Marcos,
    To passando para informar que já adquiri dois livros: "Viver Reconciliados" e "O Futuro da Humanidade", e ainda to providenciando os outros. Começarei hoje mesmo pelo do Amedeo Cencini.
    Se surgir alguma dúvida, já sei onde te encontrar kkk.
    Grande abraço!
    SHALOM!

    Érica

    ResponderExcluir