Moysés, que possas ver atrás de ti a ponte cair para nunca mais voltares!

Escrito Por Antonio Marcos na quarta-feira, agosto 25, 2010 3 comments

A celebração eucarística, na qual foram realizadas as promessas definitivas e votos perpétuos do Moysés Azevedo, Fundador da Comunidade Católica Shalom, terça, 24 de agosto, foi, de fato, um especial momento de ação de graças. Além da beleza do mistério de Cristo estampado na Liturgia, nas canções, no ícone com a imagem da Cruz como árvore da vida, tudo aconteceu diante de um sucessor dos apóstolos, nosso pastor Dom José Antônio e dos diversos padres concelebrantes. Transcrevo aqui trechos da homilia de Dom José Antônio, por sua vez, rica no seu conteúdo e mensagem para as nossas vidas.   
Meus queridos irmãos e irmãs, na primeira leitura de hoje, tirada do livro do Apocalipse (21,9b-14), está o relato no qual Deus mostra à João a cidade santa, Jerusalém celeste, com suas características, dentre elas estão as 12 portas da muralha que dão saída para todas as direções. Relacionamos este número aos 12 apóstolos e hoje a Igreja celebra São Bartolomeu, por isso se enche de alegria. Bartolomeu, chamado por Natanael no Evangelho de João (1, 45-51), é um escolhido do Senhor. Deus não escolhe por merecimento e valor que a pessoa possa ter, mas escolhe para dar merecimento e valor. Tais pessoas eleitas, chamadas, não estão prontas e nem perfeitas. Como aconteceu com Natanael, o acolhimento da sua parte fez a grande diferença. Não havia nele fingimento, era homem de coração sincero, por isso foi capaz de até mesmo questionar a origem de Jesus: “De onde me conheces?” Bartolomeu é um homem aberto a Deus.
A surpresa vem quando Jesus toca a fibra íntima ao dizer tê-lo visto debaixo da figueira. Natanael, sendo então conquistado para o seguimento de Cristo Cabeça, vai ser provado, mas a prova o fará crescer e também lhe será manifestada a vontade de Deus, ser apóstolo. Hoje, meus irmãos e minhas irmãs, celebramos e acolhemos uma outra dimensão da vida da Igreja que é a vida laical, os que são chamados não para encabeçar a Igreja, o que fez Jesus e seus apóstolos, mas para formarem o tecido da família de Deus. Maria, Mãe de Jesus, é a primeira referência da vida laical. E que se saiba, Maria não é menos que Natanael, apóstolo de Jesus Cristo. O mais importante é a lealdade e a disponibilidade em dizer sim à Deus e acolher a missão que desta opção provém.
Essas pessoas, os leigos que se ofertam no seguimento radical a Jesus, recebem carismas. Tudo é graça de Deus. Tudo vem de Deus. Basta olharmos a história da Igreja para contemplarmos homens e mulheres agraciados que se entregaram totalmente, a exemplo de Maria, na forma de vida dos conselhos evangélicos. Estes compreenderam que a luz não era para si mesmos, mas para os outros, para o mundo. Francisco de Assis assim rezou: “Meu Deus, Tu és tudo, eu não sou nada, mas age em mim”. Nesta oferta se reavivam os valores do Evangelho e se reanima a fraternidade no meio do povo de Deus. Hoje, este nosso irmão, Moysés, faz formalmente o que já o fez espiritualmente, entrega-se totalmente para sempre. Moysés, que você seja como São Natanael, tenha um coração sincero e sem fingimento.
Que a partir de hoje, deste ato solene, seja consumada a tua travessia para o outro lado do rio e possas ver atrás de ti a ponte cair para nunca mais voltares. Que o dom de tua oferta expresse o dom de uma juventude sempre constante na vida da Igreja. Seja colaborador da obra de Deus e, como é bonita a obra de Deus. Assim seja!

Por: Antonio Marcos