2010-08-17

Como desejo ser assim com Deus...



No domingo, 15 de outubro, recebi um e-mail de uma amiga que mora distante, no qual me perguntava sobre um áudio que escutei de sua filhinha cantando e também contava sobre sua relação de aprendizado com ela. Embora o texto tenha sido breve, achei-o profundo e rico de sentido para as nossas vidas, visto que ensina muito sobre a relação de Deus conosco. Depois de ler várias vezes e rezar com o e-mail, senti que Deus queria que eu o publicasse aqui no Blog para que também pudesse ser útil a muitas pessoas. Que a reflexão das palavras desta mamãe, em convivência com sua filhinha, seja também uma escola para nós e assim descubramos que Deus é simples, que seu amor é misericordioso, é paciente, muito paciente conosco.

Eis o que conta essa mamãe: Amigo, deu para perceber um pouco como a suave voz dela é linda? Minha filhinha é uma criança muito sensível e observadora. A presença dela em minha vida é um constante aprendizado. Ao me fazer mãe, Deus vai me revelando aos poucos como é o amor de um Pai por um filho: quando peço à minha filha para ter paciência em relação às coisas; quando a vejo sem querer arrumar a bagunça quando ela mesma fez; sem querer comer aquilo que é bom; é como se fosse um diálogo meu com Deus. Ela tem uma frase que mexe muito comigo. Às vezes pergunto-lhe: “Filha, o que você quer comer?" E ela diz: "Ah, Mamãe, não sei, você que é a Mãe!" Como desejo ser assim com Deus... "Ah, Papai, eu não sei nada; Tu que és Deus é que sabe..."

É lindo o texto, não é verdade? Claro, entendamos: a relação de Deus conosco não isenta a nossa liberdade de escolha, mas a promove incondicionalmente, e o texto desta mamãe não quer contradizer isto, mas evidenciar a dimensão do abandono confiando que Deus tem sempre o melhor para as nossas vidas. Às vezes somos prepotentes demais e achamos que já sabemos de tudo na relação com os outros, especialmente com nossos filhos. As crianças são mestras em nos ensinar sobre valores que podemos ter perdidos, especialmente na relação com Deus. É verdade, quantas vezes nós mesmos bagunçamos nossas vidas e não queremos arrumá-la, mas responsabilizar os outros; quantas vezes, Deus oferece a nós o seu melhor alimento e preferimos o pecado. Sim, mamãe, é verdade, se deixássemos, livremente, Deus escolher o melhor para nós, seríamos mais felizes, plenamente felizes e muito mais agradecidos a Ele por seu cuidado a nosso respeito. Obrigado mamãe, por sua filhinha, pelo que vens aprendendo com ela e pelo que me ensinastes a partir da sua simples, mas fecunda partilha de vida. Como eu desejo ser assim também com Deus...

Antonio Marcos

0 comentários:

Postar um comentário