2010-07-25

Os olhos da misericórdia de Deus no Halleluya


Profundas são as palavras da Liturgia deste Domingo (XVII TC), especialmente da 2ª Leitura, quando diz: “(...) vós estáveis mortos por causa dos vossos pecados, e vossos corpos não tinham recebido a circuncisão, até que Deus vos trouxe para a vida, junto com Cristo, e a todos nós perdoou os pecados” (cf. Cl 2, 12-14). Enquanto eu rezava e meditava esta Palavra, logo o Espírito Santo me fez lembrar uma proclamação de cura e perdão, na adoração Eucarística, feita pelo Pe. Antônio Furtado, no dia de ontem, no Halleluya.

Assim eram as palavras do Pe. Antônio, dirigidas a um jovem que ali, no meio a 250 mil pessoas, em profundo silêncio, contemplavam Jesus no Santíssimo Sacramento do altar: “O Senhor está visitando a um jovem que aqui se encontra e que matou o seu pai. Este fato trágico te marcou profundamente e te fez sofrer muito até hoje. Não és feliz, pois carregas o sofrimento da culpa. O Senhor te diz agora, filho: ‘O meu amor por ti é maior que o teu crime. Lavo os teus pecados com o meu sangue e te perdou. Torno-te livre deste sofrimento e te faço viver outra vez. O meu amor agora te salva!’”. Depois, o Pe. Antônio pediu para que aquele jovem procurasse o sacramento da confissão.

Confesso que fiquei emocionado e até deixei as lágrimas descerem do rosto pensando naquele jovem, em muitos outros ali e, também em mim. Lembrei de quando cheguei ao Encontro Renascer em 1998 e, encontrando-se machucado, vazio e sofrido, fui visitado pelo amor de Deus. Os olhos da misericórdia de Deus nos alcançam ai onde estamos, nos submundos de nossa dor, culpa, infelicidade e vazios. Aquele jovem, talvez, jamais imaginasse que Deus o via naquela multidão e que o havia atraído por causa do Seu amor e desígnio. Os homens colocam muitas barreiras, mas o olhar amoroso de Deus vai sempre além.

Naquela hora no Halleluya me senti aquele jovem, fui tão visitado quanto ele! Queria muito tê-lo encontrado, mas, não sendo possível, sei o que aconteceu dentro dele. Imagino que tenhas chorado muito, sentindo-se visto, visitado por Deus, amado e perdoado. Tenho certeza que hoje aquele jovem sente um alívio e uma paz em seu coração que nada pode descrevê-la. Hoje é o primeiro dia de vida nova para aquele jovem.

Obrigado, Senhor, por Teu olhar de misericórdia capaz de nos arrancar da desgraça e nos conduzir à felicidade. Realmente as palavras do Walmir Alencar são outra vez recordadas nesta hora: “O Halleluya só é a mesma coisa para quem não consegue vê-lo com os olhos da fé!”. Obrigado, Senhor, pois Tu também me salvaste quando ouvi aquela proclamação. Os olhos da Tua misericórdia também me visitaram!

Antonio Marcos

Um comentário:

  1. Só de estar lendo o que escreves,ja fiquei com meus olhos lagrimando!nao pude estar na odoração,mas o Senhor tb me vizitou,sempre em q Ele me dava forças p me doar cada vez mais n servirço.Mas tb encontrei tempo,para rezar na capela!halleluya foi mt bom!mt almas foram salvas,e bendito seja Deus,que nos chama a santidade,nos dando a sua missericordia!

    ResponderExcluir