Santa Teresinha: “Salvar as almas e rezar pelos sacerdotes!”

Escrito Por Antonio Marcos na quinta-feira, junho 10, 2010 Sem Comentários

O transbordamento do amor conduz a outro aspecto do espírito de Santa Teresinha: o aspecto missionário apostólico que complementa de forma feliz a sua vida mensagem, conferindo-lhe coerência com o ideal carmelitano da vida “no obséquio a Jesus Cristo” (Regra do Carmo , prólogo). Reconhecendo a autenticidade de seus desejos e compromissos, foi colocada pela Igreja ao lado de Francisco Xavier, o intrépido apóstolo do Japão e das Índias, e declarada Padroeira das Missões.

Desde criança, educada na fé, Santa Teresinha aprendeu o grande valor do sacerdócio. Contudo, na adolescência, em sua peregrinação a Roma, foi que se consolidou sua vocação missionária. Em contato próximo com muitos sacerdotes que participavam da viagem, descobriu que estes não estão isentos de fraquezas: “Pelo espaço de um mês, privei com muitos sacerdotes santos, e verifiquei que, se a sua sublime dignidade os coloca acima dos anjos, nem por isso deixam de ser humanos, fracos e falhos…” (Ms A, f. 56r). Pela idealização que fazia do sacerdote, Santa Teresinha poderia ter se decepcionado! Entretanto, sua fé era bem maior e já aí se revela sua maturidade e desejo sincero de “salvar as almas” e de “rezar pelos sacerdotes”.

Em sua visão, era muito importante que os sacerdotes fossem santos: “Vim para salvar almas e, principalmente, para rezar pelos sacerdotes”, declarou no exame canônico para a profissão. Esta é uma resposta muito importante, pois, livremente, diante do bispo ou delegado, a pessoa devia expressar as motivações pelas quais escolheu a vida religiosa. Santa Teresinha, afirmam testemunhas do Processo de Beatificação (Proc. Ord. 478), dizia brincando que esta é uma forma de “negociar por atacado”, pois, salvando a “cabeça” atinge também os membros.

Fonte: Augusta de Castro Cotta, CDP. Emanuele Boaga, O. CARM. A caminho com Teresa do Menino Jesus, Loyola,1997.