2010-05-24

Papai e mamãe, vocês têm uma missão insubstituível!

Mesmo que seja um “mandamento decorado”, sabe-se que, como filhos, devemos honrar pai e mãe. O Livro do Eclesiástico fala de forma muito bonita sobre isso: “Ouvi, meus filhos, os conselhos de vosso pai; segui-os de tal modo que sejais salvos” (Eclo 3,2).

Estamos diante de profundas mudanças nos valores vividos por nossas famílias e sociedade. Mudou-se a conjuntura, os contextos, inclusive nos modos de educar nossos filhos. Vemos barbaridades na relação pais e filhos e depois ficamos nos perguntando sobre causa de alguns acontecimentos e dessa inversão de valores assustadora vigente. Bastaríamos falar dessa liberação sexual nunca visto, nem nos tempos do paganismo nas províncias romanas ou na década da revolução sexual depois dos anos 60. O filho diz: “Meu pai é meu amigo! Posso transar a vontade, inclusive na casa dos meus pais. Tenho 15 anos, já sou dono do meu nariz”.

Diz o Pe. Valdir Vitorino, MC: “O Catecismo da Igreja Católica nos ensina que “a paternidade divina é a fonte da paternidade humana” (nº 2214), e que aí está o “fundamento da honra devida aos pais”. “Honra teu pai de todo o coração e não esqueças as dores da tua mãe. Lembra-te que foste gerado por ela. O que lhes darás pelo que te deram?” (Eclo 7,27-28).” Sim, os pais são representantes legítimos de Deus na vida dos filhos.

Papai e mamãe, é verdade que o tempo do autoritarismo não pode voltar, é preciso dialogar, esclarecer, cuidar e amar, mas traduzir isto pela amizade não significa perder a autoridade, pois ela é diálogo, firmeza, coragem de dizer "não" quando é preciso e confiança em dizer "sim" quando é justo que se diga. As permissões na vida de nossos filhos precisam ser pelo que será bom para ele e não simplesmente no prazer pelo prazer. Lamenta-se que os pais não queiram e temam a missão de educar no amor e na verdade os filhos. Teme-se confrontar e não contrariar por não querer ferir a autonomia, a liberdade que tem o filho de se fazer suas opções. ou mesmo revoltá-lo. Essa postura de em nada querer contrariar o filho é desastrosa e pode ter conseqüências irrervesíveis.

Papai e mamãe, a missão de vocês é insubstituível, principalmente em tempos como os nossos onde falta referencial a partir de nossas casas. Claro, é um reflexo de como os pais estão vivendo a relação a dois. Infelizmente a febre pelo trabalho, pelo dinheiro e pela posse tem minado a relação de nossos casais. E ai tem-se buscado alternativas no processo de educação dos nossos filhos, preenchendo-os de outras ocupações, ainda que o “pó e o crack” estejam fazendo-lhes companhia, mas que eles estejam ocupados e assim “colaborem no descanso dos pais” ou amenizem neles o despreparo de ser ter que olhar nos olhos e dizer que os amam e que por isso querem estar presentes em suas vidas, ajudá-los a ser pessoas, filhos e pais no futuro.

Antonio Marcos

0 comentários:

Postar um comentário