2010-05-24

O divórcio, a dor e o recomeço!

Cada vez mais nossas famílias sofrem com a separação, o divórcio e, sem dúvida, não são poucas as dores e marcas que ele deixa no coração e na alma, no lar e nos filhos. Muitas interrogações e medos podem surgir, mas o certo é que a vida continua e, de fato, é preciso que se continue. Sei que nossas opções estão sempre situadas dentro de um contexto real e levam em conta nossa história de carências, fracassos, maturidade e imaturidade, necessidades, alegrias e esperanças. Não podemos reduzir tudo à questão do "sacramento do matrimônio", sobre o qual não se precisa fazer um discurso moralista e condenatório.

É preciso reconhecer que se foi consciente e responsável pelas opções. A separação, ou melhor, a infelicidade dentro do casamento é algo doloroso e angustiante por tantos motivos. É claro que a Igreja sempre vê como uma ferida para a Família o divórcio ou mesmo o rompimento inevitável de algumas relações. Mas o que aconteceu, aconteceu, agora é tempo não de condenar, mas de acolher, orientar e recomeçar. Essa "relação sacramental" acompanhará os cônjuges separados para sempre, mas não é fator determinante que indique que serão infelizes. Deus continua nos amando mesmo quando erramos e fracassamos na sua vontade. É muito importante aprender com os erros e acolher com responsabilidade as consequências, mesmo aquelas que são "irrevogáveis".

Temos uma alma, um corpo, um coração, uma mente, podemos amar, recomeçar, encontrarmos sentido de vida e ensinar os outros a viverem esses valores diferentes de como os temos vividos. Viver preso ao passado nunca será proveitoso para nós. Temos que viver a vida que há pela frente, mesmo com nossas "cicatrizes de guerra". O amor de Deus e sua misericórdia não podem ser condicionados aos fatos e circunstâncias. Portanto, a vida hoje exige de quem precisa recomeçar a vida afetiva, muito mais maturidade e responsabilidade porque se viveu, se amou, ainda que se tenha errado e, "aparentemente" ou concretamente fracassado, mas é preciso recomeçar.

Cada pessoa tem o "direito" de ser feliz e continua digna de ser amada e compreendida. Deus deve ser a nossa melhor escolha, encontrar nele o sentido da vida e de nossas frustrações, jamais culpá-lo. Meus pais são separados a mais de 25 anos e tenho acompanhado muitos casais jovens com este desafio e outros amigos me confidenciaram suas dores no campo afetivo-matrimonial. Não é fácil vê-los chorar seus erros e, muitos, quase irreversíveis. Digo sempre que a realidade em si, o reconhecimento do erro, já é a maior humilhação e também libertação, por isso não devem acumular remorsos e autoacusações, mas recomeçar com esperança, reparar com a vida o sofrimento que causamos aos outros e a nós mesmos. E rezar, sempre rezar, buscar a Deus e seu amor misericordioso que faz novas todas as coisas.

Peço a Nossa Senhora por todos os casais separados, por esta ferida em seus corações, e peço também pelas mães solteiras, para que não desanimem da felicidade. Perdoem a si mesmo e ao outro, e recomecem a viver. Descubramos em Deus a melhor forma de servi-Lo, pois, com certeza, há sempre necessidade de nós o Reino de Deus. Na verdade, somos nós os maiores necessitados de estarmos a serviço de Deus. Lembremo-nos, não estamos condenados a morrer sem nunca termos amado de verdade e, inclusive, sem termos sido amados de verdade. "Ninguém te condenou? Também eu não te condeno, disse Jesus. Vai e não peques mais".

Dedico este artigo a uma amiga que me confidenciou esta dor do divórcio e a esperança do recomeço. Aqui estão um pouco das palavras que a enviei por email . Obrigado amiga, pela confiança! Estarei sempre rezando por você e por quem sofre esta dor, para que nunca desistam da felicidade.

Antonio Marcos

4 comentários:

  1. somos nós os maiores necessitados de estarmos a serviço de Deus. Lembremo-nos, não estamos condenados a morrer sem nunca termos amado de verdade e, inclusive, sem termos sido amados de verdade.

    assino em baixo!
    vc escreve tantas coisas maravilhosas q as vezes em penso comigo:"puxa pq eu n pensei nisso antes?"
    rsrs

    ResponderExcluir
  2. Legal! Concordo c vc e assino em baixo. Estou passando pelo divórcio e acredito que sempre é tempo de recomeçar!

    ResponderExcluir
  3. Esse texto é simplesmente lindo...
    Eu sou divorciada, há mais de 5 anos, e ainda não consegui me livrar da dor e refazer a minha vida... realmente quero crer em tudo o que nele está escrito...

    ResponderExcluir
  4. Agradeço aos leitores e leitoras que nesta partilha puderam encontrar algum consolo,sobretudo uma luz de esperança para o recomeço com relação à vida pós-divórcio. O mais importante é recomeçar, mas não sozinhos, mas com Deus. Sua misericórdia e sua graça está para além de nossos erros e fracassos. Coragem! Rezem por mim. Rezo por vocês, ainda que - prudentemente - não tenham se identificado. Deus vos conhece, como a todas as vossas mais profundas dores e alegrias. Nossa Senhora interceda.

    ResponderExcluir