2010-05-08

A mãe espiritual indica e conduz ao céu!

A maternidade espiritual é fecundidade que me põe de pé diante da cruz, que me ensina que a vida é obra da gratuidade de Deus. A mãe espiritual indica e conduz ao céu. As mães espirituais reluzem também a beleza da Mãe Igreja. Esse mistério que envolve cada mãe foi possível contemplar aos pés da cruz. Lá tudo terminou com a oferta. “Pai, em tuas mãos eu entrego o meu espírito; mulher, eis aí o teu filho; filho eis aí tua mãe!”

Também faz parte da vocação de ser mãe a sabedoria, a renúncia e a coragem de dar de graça o que de graça se recebe. Os filhos são de Deus primeiramente, portanto, cuidar e sofrer com eles, significa amar até o fim, na certeza de que quando se dá um filho para Deus, faz-se a melhor das ofertas. Não é este o maravilhoso testemunho de Santa Mônica para com o seu filho Santo Agostinho? Dia e noite ela rogou de joelhos ao Senhor, durante vinte anos, que o chamasse para o seu círculo de bem-aventurados. Chorou intensamente a Deus pelos erros do filho. Um dia Mônica foi procurar Santo Ambrósio em lágrimas, Bispo da sua Cidade, depois de receber suas recomendações uma primeira vez, e lhe pediu ajuda para conduzir Agostinho para a Igreja. Respondeu-lhe o servo de Deus: “Vá e viva em paz, pois é impossível que possa perecer um filho de tantas lágrimas”. Ela acreditou serem estas palavras voz de Deus, e delas não abriu mão (cf. Santo Agostinho. Confissões, III,11.12).

Neste dia das Mães, também esta palavra de esperança para todas as mamães marcadas pela dor, pelo abandono do seu cônjuge, pelo flagelo do adultério. Uma palavra de esperança para todas as mamães que se encontram no sofrimento com o filho doente, drogado, alcoolizado, desaparecido, desempregado. Uma palavra de esperança para as mamães que se encontram nos albergues e nos abrigos, que tudo e a todos perderam com as enchentes; que estão nas casas de tratamento mental, vítimas da AIDS, nas prisões, abandonadas pelos filhos. Uma palavra de esperança para as esposas que não podem ser mamães por causa da esterilidade ou outras complicações de saúde. A vocês mamães, a esperança de que a solidariedade humana e a luz da fé não desapareceram de vossas vidas. Também uma prece e uma oração por vocês!

Parabéns minha querida mamãe! A gratidão é a memória do coração e a expressão do amor. Neste dia queremos confiar cada Mãe nas mãos e no coração cheio de ternura de Maria, Nossa Mãezinha amada, Virgem de Nazaré. Foi diante da cruz que ela mais claramente compreendeu a sua altíssima missão de ser a Mãe do Salvador e Mãe nossa. Também Tu, Maria, ajude cada mamãe a viver sua missão, sublime missão. Acima de tudo, ensina a mamãe de hoje a rezar, a ter fé, a viver de esperança, da própria vida de Deus, para que “vivam o dom da maternidade como vocação à salvação” (cf. I Tm 2,15).

Que cada mamãe seja para os filhos, para o esposo e para o lar, um céu de ternura, aconchego e calor. Que a oração seja a força, o remédio, o sustento. Ó Maria, Virgem e Mãe, sejas Tu, a Soberana consolação de cada mamãe. Em tuas mães eu entrego também minha amada mãe. Amém!

Antonio Marcos

Um comentário:

  1. Belas palavras.

    De fato o relacionamento mal vivido pode ocasionar um grande desencontro, o melhor é esperar em Deus e deixar ele moudar nossas vidas confome sua vontade, ele sabe melhor que agente.

    ResponderExcluir