2010-05-08

É assim o amor, nos faz morrer para que possamos viver!


Um dia Jean Vannier, fundador da Comunidade ARCA (que tem a missão de trabalhar com as pessoas com Síndrome de Down), foi visitar uma de suas comunidades. E lá, durante um momento com os adolescentes, um deles, insatisfeito e a sofrer com as transferências dos missionários daquela casa para outra missão, perguntou-lhe: “Senhor, por que as pessoas a quem aprendemos a amar precisam ir embora?”.

Após fazer um momento de silêncio a meditar na pergunta e por respeito para quem a fez, olhando-lhe nos olhos, respondeu Jean Vannier: “Meu caro filho, o amor é assim! Nunca aprendemos a amar para nós mesmos, mas para que os outros sejam também felizes. Nossa felicidade consiste em deixar que eles partam para que façam com que outros aprendam a amar como nós aprendemos com eles. Esse deixar a quem amamos partir já é um autêntico amar, um gesto profundo de evangelização porque é partilha, é esquecimento de si, é morte do egoísmo. Agora você tem que fazer o mesmo, filho: amar e ensinar outros que estão perto de você a amarem! Ame não retendo, mas ofertando porque o amor é acolhida, e essencialmente, doação”. Fez-se um silêncio naquela sala e alguns, emocionados e consolados com essa resposta, deixavam lágrimas descerem dos olhos compreendendo que não estavam perdendo por verem a quem amavam partindo, mas só estavam a ganhar. O adolescente disse: obrigado meu pai, agora compreendo! É assim o amor!

Nem sempre compreendemos essa dinâmica de dor, descida, saída, mas sabemos o que se passa dentro de nós com o gesto concreto do não querer reter as pessoas a quem amamos, mas torná-las dom, sinal de salvação para outros. Uma mãe sabe o que é ver o filho partindo de casa, indo para uma opção vocacional; Uma mãe ou um pai sabe o que é – indescritivelmente – perder um filho pela morte. Um namorado sabe o que é estar muito longe de sua namorada, como um Padre sabe o que é ficar sem celebrar a Eucaristia ou confessar. Uma esposa sabe o que é ver o esposo partindo para uma viagem longa ou para um desafio de risco. Os amigos de um Curso na Faculdade, no Colégio ou na Empresa sabem o que acontece dentro do coração ao chegar o dia em que todos precisam seguir seus caminhos e planos.

É assim o amor! Ele nos ensina o calor da vida, a alegria de pertencer, da doação gratuita, da partida e da esperança do reencontro. É assim o amor! Ele nos introduz na “experiência da anunciação” e na “experiência da paixão”, mas quer sempre nos levar ao “mistério da ressurreição”. É assim o amor, nos faz morrer para que possamos viver a vida abundante que só ele concede. É assim o amor, ele se dá até o extremo (cf. Jo 13,1) porque ninguém pode retê-lo, sua oferta é gratuita, é livre (cf. Jo 10,18). Ensina-nos, Senhor, a viver esse amor com alegria e esperança onde quer que estejamos ou que sejamos enviados.

Ensina-nos, Senhor, a viver deixando partir, com gratidão, aqueles que agora precisam ensinar outros a amarem. Cremos que quem ama nunca está sozinho! Ensina-nos a viver no abandono como viveu Tua Santíssima Mãe, a Virgem Maria, e que a Tua Palavra nos console sempre: “É a tua providência, ó Pai, que segura o leme de nossas vidas!”(cf. Sb 14,3). Assim seja.

Antonio Marcos

0 comentários:

Postar um comentário