O que Freud não explicou

Escrito Por Antonio Marcos na quinta-feira, abril 29, 2010 Sem Comentários

“Freud teme que as doutrinas religiosas debilitem a razão. Por isso sugere que se faça a experiência da educação sem interferências de credos. Comentando estas afirmações, o pastor suíço Oscar Pfister, fundador da Sociedade Psicanalítica da Suíça, como bom psicanalista, argumenta com exemplos históricos: há filósofos geniais, inventores, poetas, músicos e cientistas que, ao mesmo tempo, foram profundamente religiosos como, entre outros, Copérnico, Galileu, Mozart, Santo Agostinho, Santo Tomás de Aquino e Dante. Teriam eles criado algo melhor se não tivessem sido homens de fé? Não parece e nem aparentam deficiências intelectuais por terem crido em Deus.”
(Olindo A. Pegoraro. Freud, Ética e Metafísica. O que Freud não explicou, 2008).

Este livro do Prof. Pregoraro é uma maravilha! Foi publicado em 2008 pelas Vozes, e chegou nesses dias em minhas mãos. Estou apenas no início da leitura e estou apaixonado pela análise crítica que faz o professor nas duas das mais importantes obras de FREUD, relacionadas à Religião e à sociedade e a ética. Vale muito a leitura e estudo desta obra! Realmente Freud foi fascinante, mas não explicou coisas lógicas, racionais e essenciais da vida humana. Suas visões acerca de Deus e da Religião foram, na grande parte da reflexão, unilaterais porque não conheceu Freud o lado bom e essencial da religião e a vital dependência que temos de Deus para sermos felizes e salvos.

Antonio Marcos